Polícia Federal faz apreensão de 21 quilos de 'skank' no aeroporto do Recife

A Polícia Federal (PF) em Pernambuco divulgou, nesta sexta-feira (31), que fez um apreensão recorde de 'skank', uma forma sintética da maconha, modificada geneticamente em laboratório. Os policiais encontraram cerca de 21 quilos da droga com dois homens no Aeroporto Internacional dos Guararapes, na Zona Sul do Recife.
Os homens foram presos suspeitos de tráfico de drogas. Havia 18 tablete escondidos entre roupas dentro de duas malas. Os dois haviam saído do Recife na terça-feira (28) e, em Manaus, teriam recebido a bagagem já com a droga. Segundo a PF, a droga foi descoberta durante as operações de rotina no aeroporto.
Os suspeitos foram entrevistados por agentes de repressão ao tráfico por aparentarem nervosismo e inquietação durante os procedimentos realizados pela polícia. Os dois se contradisseram em algumas perguntas feitas na abordagem e, por isso, tiveram a bagagem aberta.
Ainda segundo a PF, o skank não é produzido no Brasil e a rota do tráfico da
droga é feita por Manaus, no Amazonas, vindo da Colômbia. Os dois homens confessaram o crime e afirmaram que, pelo serviço, receberiam R$ 5 mil cada, mas negaram se conhecer antes de chegar em Pernambuco.
Na capital, eles deveriam entregar o entorpecente a uma pessoa que entraria em contato por telefone. Antes de chegar ao Recife, os suspeitos fizeram uma escala em Fortaleza, no Ceará, onde passaram despercebidos com a droga escondida.
Ambos os suspeitos foram levados à sede da Polícia Federal, no Cais do Apolo, centro do Recife, onde foram autuados por tráfico de drogas e associação criminosa. Eles foram encaminhados ao Centro de Observação Criminológica e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), no Grande Recife. Se condenados, eles pegam penas que podem variar entre cinco e 25 anos de prisão.

Apreensões

No ano passado, a PF realizou 14 apreensões de drogas e prendeu 14 pessoas, suspeitas de tráfico de entorpecentes. Ao todo, foram descobertos 26 quilos de haxixe, 13,7 quilos de cocaína, 6,1 quilos de metanfetamina, 25,1 quilos de ecstasy e 56 celulares. Em 2015, no entanto, foi apenas uma apreensão de 10,6 quilos de cocaína, com duas pessoas presas. (globo.com)

Nenhum comentário:

Postar um comentário