Questão sobre Aeroclube encerra entrevista com ACM Neto

O prefeito ACM Neto (DEM) reuniu a imprensa, na tarde da terça-feira (11), para apresentar o projeto que vai beneficiar milhares de crianças através da destinação de até 3% do tributo devido no Imposto de Renda, no caso de pessoa física, e de até 1%, para pessoa jurídica, conforme a Lei Federal 12.594/12. Os recursos irão para o Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (FMDCA) e ajudarão dezenas de projetos sociais. Mesmo faltando 27 dias para o prazo final da entrega da declaração do Imposto de Renda, Neto acredita que ainda há tempo hábil para que o projeto tenha sucesso. “A gente sabe que por tradição e por cultura, é exatamente, a partir de agora, que o brasileiro está sentando para organizar sua declaração de Imposto de Renda. Acredito que ainda é possível aproveitar esses últimos dias para conseguir arrecadar um volume importante de recursos”, disse o gestor do Município. O projeto, apresentado pelo prefeito e pela secretária municipal de Políticas para as Mulheres, Infância e Juventude, Taissa Gama, vai beneficiar, principalmente, crianças e adolescentes de 0 a 17 anos, moradoras de bairros carentes de Salvador. De acordo com o ACM Neto, até o início de maio, a Prefeitura fará um chamamento público para entidades interessadas em receber os recursos. No ano passado, a iniciativa beneficiou 6,8 mil crianças e adolescentes. Os recursos do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente são geridos e aplicados pelo Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (CMDCA), com fiscalização do Ministério Público e do Tribunal de Conta do Município. O Conselho também é responsável pela seleção e acompanhamento dos projetos contemplados pelo chamamento público. A iniciativa conta com o apoio da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEB) e do Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA).
O prefeito se recusou a comentar a iniciativa dos vereadores de oposição que querem instalar uma Comissão Especial de Inquérito (CEI) para investigar o Aeroclube. Trata-se de uma retaliação ao gestor por parte de vereadores ligados ao governo Rui Costa (PT), contra quem foi instalada a CPI do Centro de Convenções na Assembleia Legislativa. Questionado sobre o assunto durante coletiva à imprensa, no Palácio Thomé de Souza, o gestor disse que não falaria sobre o tema e deu por encerrada a entrevista. Politica Livre

Nenhum comentário:

Postar um comentário