Tribunal nega transferência e Cunha será julgado por Moro

A Primeira Seção Especializada do Tribunal Regional Federal da 2ª Região decidiu remeter para Curitiba o processo penal de Eduardo Cunha.
Relator do processo criminal no TRF2, o desembargador federal Paulo Espirito Santo afirmou que a duplicidade de ações, uma no Rio de Janeiro e outra no Paraná, só ocorreu em função da prerrogativa de foro.
“Assim, apesar de realmente estar sentenciado o processo a que se reporta o embargante, como pode ser visto, há um conjunto probatório que demanda apreciação por um único juízo (13ª Vara Federal de Curitiba/PR), no caso prevento, eis que lá houve apuração em relação aos demais réus envolvidos nos mesmos fatos”, disse.
O ex-deputado Federal é acusado de participação em esquema de corrupção
envolvendo contratos da Petrobrás.
Segundo a denúncia do MPF, Eduardo Cunha teria pedido propina que somaria 40 milhões de dólares do estaleiro Samsung, com sede na Coreia do Sul, para atuar na contratação de navios-sonda com a Petrobrás. (veja.abril)

Nenhum comentário:

Postar um comentário