Procurador preso na Lava Jato nega corrupção e se diz ansioso para depoimento

O procurador da República Ângelo Goulart Villela, preso há 42 dias no âmbito da Operação Lava Jato, nega a pessoas próximas que tenha praticado qualquer ilícito. O membro do Ministério Público é acusado de vender informações aos donos da JBS, após divulgação dos áudios gravados pelo sócio da empresa, Joesley Batista. De acordo com a coluna Painel, da Folha de S.Paulo, Villela tem dito também que está ansioso para ser convocado pelas autoridades a prestar depoimento. Segundo o procurador, sua atuação seguiu roteiro semelhante ao que guia "todo procurador que tenta fechar uma delação".
Por outro lado, Villela é considerado no universo político peça-chave para desnudar o modus operandi da Procuradoria-Geral da República nas negociações por acordos de delação premiada. BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário