Câmara mantém sessões e vai à Justiça contra o governo por redução no policiamento

A Câmara Municipal decidiu manter as suas atividades mesmo com a redução do efetivo de policiais militares determinada pelo governador Rui Costa. O presidente da Casa, Leo Prates, teve uma reunião na sexta-feira (18) com o prefeito ACM Neto, que cedeu provisoriamente 15 guardas municipais que vão fazer a segurança patrimonial do legislativo. Prates afirmou que vai entrar com uma medida judicial para tentar reverter a determinação do governo estadual. Segundo ele, 16 policiais militares faziam a segurança da Casa e 10 deles precisaram deixar a função nesta quinta (17). O presidente da Casa se reuniu com outros vereadores de forma emergencial durante a manhã para discutir a situação. "A Câmara precisa funcionar. Temos uma segurança que consideramos mínimo para a realização das atividades", declarou Prates ao Bahia Notícias, ressaltando que a redução do efetivo policial pode "causar falta de segurança à população dentro da Câmara". A sessão especial da vereadora Marcelle Moraes (PV) marcada para a noite desta sexta, bem como a sessão ordinária da próxima segunda (21) estão mantidas.
Por outro lado, o vereador Alfredo Mangueira (PMDB) já encaminhou nota à imprensa informando a suspensão da sua sessão especial marcada para segunda à noite, em homenagem ao Dia do Maçom. Ainda não há um nova data para a sessão acontecer.Bahianoticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário