Moradora de Santo Antônio de Jesus é vítima de racismo na internet

Uma imagem repugnante de racismo se espalhou por grupos de WhatsApp na última semana: uma montagem com a foto de duas torcedoras negras do Bahia acima de outra com cinco torcedoras brancas do Grêmio, com a legenda: “Ainda tem gente que acha que time é tudo igual”.
A diretora do IFBA em Santo Antônio de Jesus, Edna Matos, torcedora do Bahia que aparece na foto ao lado da filha nas arquibancadas da Fonte Nova, tomou conhecimento do fato e denunciou o crime. “Primeiro, eu não tinha entendido. Depois fiquei chateada, com raiva, decepcionada, frustrada, triste… Não foi a primeira vez, mas é sempre como se fosse… Ainda mais porque minha filha também foi vítima”. A montagem contém três preconceitos: racial, regional e o machismo.
Edna ainda conta que tem discutido sobre o papel e os perigos das redes sociais com os alunos. “O racismo no Brasil até o advento das redes sociais era velado, e hoje ele é camuflado. As pessoas se escondem atrás de um anonimato para destilar seu preconceito. Antes, quando tinha de ser cara a cara, as pessoas não falavam abertamente, mas a gente identificava nos gestos, no trato com as pessoas”, concluiu.
Edna rejeita totalmente a tese de que a montagem se refira a questões meramente estéticas. “Não tem essa questão de beleza, quem acha isso não está enxergando ou não quer enxergar. Ali está embutida a ideia de que uma raça é mais bonita que a outra, que o nordestino é feio, pobre, inferior e preto, em sua grande maioria… e também o machismo, como se a mulher servisse só para enfeitar a torcida e não para torcer por um time”, finalizou.
(Editado por Tribuna do Recôncavo | Fonte: Veja)

Nenhum comentário:

Postar um comentário