Relatório aponta negligência como maior causa de acidentes com embarcações

Um relatório elaborado pela Diretoria de Portos e Costas da Marinha do Brasil aponta que negligência, imperícia e imprudência são as causas de 72% dos 898 acidentes com embarcações no ano passado. Segundo o mesmo documento, 66% dos acórdãos do Tribunal Marítimo, entre 17 de junho de 2008 e 25 de julho de 2017, foram pelo arquivamento dos processos. Apenas 34% das sentenças foram condenações. Até 25 de julho deste ano, foram registrados 473 acidentes e fatos da navegação (circunstâncias que põem em risco a embarcação e os passageiros), deixando 100 mortos, 21 desaparecidos e 126 feridos. De acordo com O Globo, do total de mortes 26 foram em atividades de esporte e creio e 20, em atividades de pesca. O maior número de feridos, 36, também foi em atividades de lazer, seguido por transporte de passageiros, 31. O número de vítimas fatais e pessoas desaparecidas neste ano têm como causa naufrágios (27%), queda na água (24%) e choque entre embarcações (14%). Até o mês passado, o maior número de acidentes da navegação foi registrado no 1º Distrito Naval (DN), com 23%. Em seguida aparece o 8º DN, com 19%. Quanto ao número de mortes, aparece no topo o 8º DN, com 28%. O 4ºe o 9º DN empatam em segundo lugar.
Os acidentes mais recentes envolvendo embarcações aconteceram nesta semana, no Pará e na Bahia - os acidentes deixaram pelo menos 23 e 18 mortos, respectivamente. Bahianoticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário