Feira de Santana - deputado baiano insinua que diretor do Depin ficou com R$13.298 apreendidos com suspeitos de crime

Em pronunciamento na Assembleia Legislativa de Feira de Santana, nesta última terça-feira (29/8), o deputado Targino Machado (PPS) voltou a insinuar que o diretor do Depin de Feira de Santana, Ricardo Brito, tenha cometido o crime de peculato apropriação indevida de R$ 13.298-, quando o mesmo atuava como delegado coordenador de polícia de Feira de Santana, em 2014.
Segundo o parlamentar, o então delegado coordenador de polícia, “Dr. Ricardo Esteves Brito tomou conhecimento da prisão de pessoas que estavam de posse de mais de R$ 13 mil em espécie de forma suspeita e solicitou o inquérito policial relativo ao caso. Após concluído pela delegada plantonista, Dr. Ricardo pediu que lhe fosse encaminhado juntamente com o dinheiro”.
Ainda segundo Targino, ao receber o inquérito e o dinheiro, o delegado coordenador ao invés de emitir um DAE para depósito do dinheiro remeteu o citado inquérito à delegacia de furtos e roubos, mediante um ofício da coordenadoria, no qual constava a remessa do inquérito acompanhado do
dinheiro, porém o dinheiro não foi encontrado.
“No início do ano seguinte (2015), o delegado Ricardo Brito foi promovido a diretor do Departamento de Polícia do Interior (Depin). O novo coordenador de polícia de Feira de Santana passou a cobrar do chefe imediato, o diretor do Depin, as chaves do gaveteiro ou o comprovante de depósito do dinheiro, recebendo sempre evasivas. A justiça determinou o depósito da quantia e, após ter sido comunicado, Ricardo Brito, ao invés de fornecer as chaves do gaveteiro para que se resgatasse o dinheiro, pegou com o escrivão um DAE para efetivar o depósito e deixou vencer o documento sem realizar o depósito, somente pagando a totalidade da quantia após a expedição do 3º DAE”, denunciou Targino Machado.
O parlamentar disse ainda que ao tomar conhecimento do ocorrido o Ministério Público em Feira de Santana instaurou uma investigação em desfavor do diretor do Depin pela prática de crime de peculato. A corregedoria, o MP e o Departamento de Polícia Técnica (DPT) abriram o gaveteiro, encontrando apenas o ofício no qual o Dr. Ricardo Brito encaminhou o inquérito à delegacia de furtos e roubos sem o dinheiro.
“E aí, governador Rui Costa, vossa excelência aprovou este ato cometido pelo diretor do Depin ou está com medo de demiti-lo?”, cobrou o deputado.

Ataques ao secretário da SSP-BA
O deputado Targino Machado ainda atacou o secretário de Segurança Pública da Bahia, Maurício Barbosa. “Cadê o governador, cadê o Secretário de Segurança? Esse ‘camarada’ vai continuar sendo diretor do Depin? Esse Ricardo Brito… ele roubou R$ 13.298. Devolveu (a quantia) sobre varas… eu estou com pena do Governador Rui Costa , que vive ameaçado por esse outro bandido, vou provar que é bandido, que é o secretário de Segurança pública. Vou provar!”, disse taxativo Machado, que garante ter evidências contra Maurício Barbosa.
“Eu já tenho as provas todas e vou dissecar esse assunto ao longo de várias semanas, por que são mais de 4 mil laudas, provando que este é um moleque, que está à frente da secretária de segurança pública da Bahia… e eu não posso entender como o governador Rui Costa, homem inteligente … ele mantém esse secretário à frente de uma Secretaria de Segurança Pública, que tem acumulado resultados negativos dia após dia”.
O parlamentar deu a entender ainda que Maurício Barbosa tem os “arautos do governo” ‘na mão’. “Não sai de lá, por que deve estar com a espada apontada na cabeça dos arautos do governo, por que esse é uma secretário araponga , que vive espionando a vida de todo mundo e deve ter muita coisa contra o governador, que não o demite, não o afasta”.
Procurada pela reportagem do Aratu Online, a assessoria da SSP-BA foi taxativa ao informa que “o deputado estadual Targino Machado será acionado judicialmente do ponto vista civil e criminal”. (aratuonline)

Nenhum comentário:

Postar um comentário