Antes de morrer, vítima disse que marido ateou fogo nela 'por brincadeira'

A família da mulher que morreu após o companheiro atear fogo e queimar 50% do seu corpo contou ao Bahia Notícias que, enquanto estava hospitalizada, Maria da Conceição Alves Santos, de 59 anos, teve momentos de desorientação e de lucidez, e relatou a família o que aconteceu. "Parte do tempo que ficou internada ela ficou desorientada e dizia que foi uma brincadeira, depois ela ficou lúcida e falou que ele [o marido] tinha realmente ateado fogo nela", contou a sobrinha da vítima, Rafaela Anjos. Maria da Conceição Alves morreu por complicações decorrentes de queimaduras, após seu companheiro atear fogo em seu corpo no início do mês de outubro, no bairro de Sussuarana, em Salvador. A vítima chegou a ser socorrida e internada em estado grave no Hospital Geral do Estado (HGE), mas no dia 29 de outubro acabou morrendo. O marido, Olegário Pereira dos Santos, de 67 anos, teve a prisão preventiva decretada e foi encaminhado para o presídio da Mata Escura. A sobrinha da vítima disse ainda
que, ao contrário do que foi informado pela polícia, a tia não estava dormindo: "Ela disse que achou que ele estava dormindo, e levantou para ir ao banheiro. Neste momento ele jogou o álcool e colocou fogo nela". A família afirmou que o sentimento frente a situação ainda é de incredulidade. Rafaela contou que os familiares ainda não entendem e nem aceitam o crime. "A gente ainda está perplexo com o que aconteceu. Na nossa família ninguém se imaginou nesse lugar, a minha tia é uma pessoa que nunca fez mal a ninguém", disse. Questionada sobre o perfil de Olegário Pereira, a família afirmou que ele era ciumento e que costumava beber. Rafaela não sabe se ele tinha algum envolvimento com drogas, mas afirmou que Maria da Conceição já havia sido aconselhada a se separar do marido. "Viver e cuidar de um homem por 11 anos e ele ser o responsável pela sua morte é um horror, muito triste", completou Rafaela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário