Ex-presidente tricolor vai responder por formação de quadrilha

Em 2015, o Ministério Público Estadual havia entrado com uma denúncia contra o ex-presidente do Bahia Marcelo Guimarães Filho, e os ex-diretores do clube, Tiago Melo Cintra, Maurício Castro Carvalho e Jorge Miranda Copello, acusados por falsidade ideológica, formação de quadrilha e crime contra ordem tributária.
Na época, o juiz não acatou apenas a acusação por formação de quadrilha. Nesta-sexta-feira, no entanto, após o Ministério Público entrar com um recurso que teve o Bahia como assistente da acusação, o Tribunal de Justiça da Bahia aceitou a denúncia integral. O desembargador Lourival Trindade, que foi o relator, votou pela manutenção da primeira decisão judicial, mas as desembargadoras Rita de Cássia Magalhães e Ivete caldas determinaram o acolhimento do recurso.
O advogado criminalista do Bahia, Milton Jordão, explicou como o processo andará. "Agora o processo mesmo vai ter andamento. Existem prazos de recursos para os tribunais superiores mas não suspende o andamento. O adequado é que o processo desça para a primeira vara e aí o juiz possa dar o
início a toda tramitação".
O Correio tentou entrar em contato com Marcelo Guimarães Filho, mas não obteve sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário