Polícia acredita que R$ 417 mil apreendidos com ciganos na Bahia sejam de agiotagem

A polícia acredita que os R$ 417 mil - sendo R$ 397 mil em cheque e R$ 20 mil em espécie - que foram apreendidos nas casas de seis ciganos envolvidos em uma briga, na cidade de Vitória da Conquista, na região sudoeste da Bahia, sejam provenientes da prática de agiotagem. A informação foi passada ao G1, nesta quarta-feira (8), pelo delegado Cléber Rocha, coordenador da Polícia Civil no município.
De acordo com Rocha, a suspeita é fundamentada pela quantidade de dinheiro encontrada com os ciganos, que, conforme o delegado, contaram que eram comerciantes e emprestavam dinheiro a terceiros, mas não detalharam os juros aplicados nas negociações. Segundo Rocha, apesar da suspeita de agiotagem, a polícia não pôde autuar os ciganos pelo crime, porque não houve denúncias de vítimas.
A apreensão ocorreu no dia 3 de novembro, dentro de um condomínio localizado no bairro Morada dos Pássaros. Uma denúncia de briga entre os ciganos levou a polícia até o local. Conforme o delegado Cléber Rocha, o conflito ocorreu por
motivos familiares.
Na ocasião, além do dinheiro, a polícia apreendeu também duas pistolas, um revólver, 107 munições intactas, 21 celulares, três veículos, além de diversos relógios, correntes, pingentes, anéis e pulseiras.
Os seis ciganos envolvidos no conflito foram conduzidos para o Distrito Integrado de Segurança Pública (Disep), onde foram ouvidos e, em seguida, liberados. Conforme o delegado Cléber, apenas os ciganos donos dos imóveis onde foram encontradas as armas foram autuados por porte ilegal. O dinheiro apreendido está em poder da polícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário