Igreja no recôncavo é interditada por problemas de infraestrutura

Patrimônio histórico com mais de 400 anos e tombado pelo Iphan nos anos 40 do século passado, a Igreja de São Francisco, na cidade de São Francisco do Conde, localizada no recôncavo baiano, sofre com a falta de manutenção, que não é feita no local há 60 anos. Por conta dos problemas estruturais, o local foi interditado pela Defesa Civil no último mês de dezembro.
Os problemas são muitos: o piso da sacristia está afundando, e os cupins tomaram conta do teto. Na igreja, as placas da pintura feita há séculos estão se soltando, enquanto na parte de cima do claustro do convento há mais madeira apodrecendo. Algumas salas viraram casa de morcegos. Além disso, as colunas e vigas racharam e a estrutura de aço está aparente e enferrujando.
A Defesa Civil da Bahia informou que interditou o local por questão de segurança. "Um dos motivos de a gente ter vindo no início do mês de dezembro foi justamente pela proximidade do Natal e a grande quantidade de pessoas que
ia estar presente aqui na igreja, nas missas. Apresenta risco de desabamento", destacou a engenheira Caroline Martins.
A Ordem dos Franciscanos administra o lugar, mas diz que sozinha não consegue resolver os problemas. "Na grande maioria das vezes, só podemos fazer as ações paliativas. Não podemos efetivamente ajudar a restaurar, até porque é tombado ", disse o frade franciscano Frei Elias.
Por causa dessa situação, os moradores de São Francisco do Conde e devotos resolveram abraçar a causa e formaram o movimento "Salve o Convento". Uma comissão se mobilizou para pedir ajuda às autoridades. Foram coletadas até agora 7 mil assinaturas de apoio. "Com esse projeto em mãos, vai facilitar buscar junto ao município, ao estado e também em Brasília, a nível federal", disse a coordenadora do movimento, Valdelice dos Santos.
Segundo a assessoria do Iphan, uma equipe foi ao local na tarde desta quarta (10) para analisar a situação da Igreja e do Convento.

Nenhum comentário:

Postar um comentário