Bahia esmaga o Vasco na Fonte Nova e fica perto das quartas

Onde foi parar aquele ataque improdutivo do Bahia dos últimos jogos? Com fé, ele foi exorcizado nesta quarta-feira (9) para bem longe, e não voltará mais. Com atuação impecável, o Esquadrão triturou o Vasco na Fonte Nova, goleou por 3x0 e colocou um pé nas quartas de final da Copa do Brasil.
Para perder a vaga, só perdendo por 4x0 no São Januário, em jogo que só acontecerá no dia seguinte à final da Copa do Mundo, no dia 16 de julho. Agora, é torcer para que esse desempenho ofensivo seja repetido na Série A. No domingo (13), às 16h, o Bahia recebe o São Paulo, na Fonte Nova.
Relatar a primeira etapa é simples: o Bahia colocou o Vasco no bolso. Ganhou todas as bolas, manteve a posse de bola no campo de ataque e trocou passes
incisivamente. O time carioca não sofreu quatro gols por mero acaso.
Não teria espaço suficiente aqui para descrever todas as chances criadas pelo tricolor. Torcedor, tenha ciência: foram pelo menos oito oportunidades claras de marcar. Em duas, saíram os gols.

Destaque
Antes do jogo, o técnico vascaíno Zé Ricardo deu entrevista preocupado com o lado esquerdo do Bahia, segundo ele o mais perigoso do time. Não esperava, portanto, por João Pedro, arma secreta de Guto, que recebeu chance por conta de uma amigdalite de Nino Paraíba.
Quatro das oito chances de gol tiveram participação direta de João Pedro, incluindo os dois gols. Aos 18 minutos, o lateral driblou dois adversários na entrada da área, cortou para o meio e chutou; a bola sobrou para Zé Rafael, que acertou um chutaço colocado no ângulo de Silva.
Aos 22, em outra jogada parecida pela direita, João tentou driblar o adversário e foi derrubado na quina da área. Vinícius cobrou na medida em direção ao segundo pau, onde Edigar Junio subiu livre entre dois zagueiros e cabeceou no contrapé de Silva.
O ritmo alucinante seguiu no início da etapa final, com João Pedro ainda inspirado. Aos dois, ele disparou à linha de fundo e cruzou para Elber, que chutou para o gol. Silva fez uma linda defesa.
Dois minutos depois, o terceiro gol saiu em jogada pela esquerda. Primeiro, Zé Rafael desarmou Desábato e deixou o volante para trás na velocidade. Depois, tocou para Vinícius na entrada da área, de onde ele é cruel. Chutou colocado, no cantinho.
Após o terceiro gol, o Bahia tirou o pé – até porque é impossível manter aquele ritmo por 90 minutos. Guto ainda tentou incendiar o jogo colocando Régis, Allione e Kayke, mas sem efeito.
O Bahia teve outras duas chances: para varias, ambas com João Pedro. Aos 30, ele chutou, Silva salvou e Edigar desperdiçou o rebote; e aos 45, ele cruzou na área, na cabeça de Zé Rafael, sozinho, que mandou para fora.
Recado final: dá para dizer que o resultado foi uma pena para o Bahia. Porque tinha espaço para muitos, muitos mais gols.

Outros jogos
Ainda pela Copa do Brasil, O Grêmio venceu o Goiás por 3x1, após ter ganho a ida por 2x0, e se classificou para as quartas de final. Já o Palmeiras bateu o América-MG, em Belo Horizonte, por 2x1. A volta é dia 23, em São Paulo. (correio24horas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário