Prefeito de Simões Filho decreta estado de emergência e decide cancelar festas juninas

O prefeito de Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador (RMS), Diógenes Tolentino (MDB), reuniu a imprensa local na tarde desta segunda-feira (28/5), para decretar Estado de Emergência na cidade, e em consequência o cancelamento da festa do São Pedro. O festejo, popularmente conhecido como Arraiá das Viúvas, estava previsto para acontecer no final do mês de junho.
O evento, cujo algumas atrações nacionais como Luan Santana, Naiara Azevedo, Flávio José, Gabriel Diniz, já tinham sido confirmadas, após publicação no Diário Oficial da cidade da última sexta-feira (25/4), não acontecerá este ano, devido a efeitos provocados pela queda da arrecadação, que implicou no decreto de situação de emergência.
” […] Os fatos que aconteceram no final de semana no país, e que ainda não foram finalizados nos preocupam. Já foi anunciado até uma greve dos
petroleiros para esta semana. Diante deste cenário, a gente não pode deixar de tomar algumas medidas preventivas, por isso, me reunir com o secretário de Fazenda, com o Procurador Geral do Município e o vice-prefeito e decidimos tomar algumas medidas para garantir os serviços públicos, o pagamento dos salários, o pagamento do décimo terceiro. Diante dessas situações, algumas ações serão adotadas, e uma delas é o adiamento do São Pedro, que está suspenso e a programação vai ser cancelada. Já estamos comunicando a decisão e estamos fazendo um Decreto Emergencial, nenhuma contratação poderá ser feita, a não ser através de licitação normal. O Decreto Emergencial são medidas administrativas que nós vamos tomar para garantir os serviços públicos”, justificou Diógenes.
O prefeito salientou que a decisão foi discutida também com os vereadores, e que recebeu o apoio dos parlamentares para o cancelamento da festa. Diógenes informou ainda que o Decreto tem validade de 60 dias, e que, durante esse período, está suspenso todos os eventos do município, bem como apoio a festas de bairros.
Durante a coletiva, o gestor falou ainda, sobre a sua preocupação com a insegurança da população referente as ações do governo. “Temos um cenário de muita preocupação para o Brasil, vejo o povo sem perspectiva em busca de algo que possa se firmar, o povo esta sem certeza do futuro e isso é extremamente preocupante. A gente percebe que o governo está sem tomar decisões que firme um norte seguro para o povo brasileiro, e quando o povo mostra que perdeu a credibilidade com o governo isso me preocupa. Eu tenho notado isso conversando com algumas pessoas”, disse
O decreto será publicado nas próximas horas e prevê ainda que o município poderá decretar estado de Calamidade Pública, caso a situação do país se agrave. (aratuonline)

Nenhum comentário:

Postar um comentário