Vitória tem campanha idêntica a 2017: um ponto em 12 disputados

O Vitória de 2018 tem sido um triste e alarmante reflexo de 2017. O Leão chegou à quinta rodada da Série A repetindo, exatamente, a campanha do ano passado justamente na qual o rubro-negro teve o seu pior início de Brasileiro na era dos pontos corridos.
A equipe de Vagner Mancini conquistou nesta temporada apenas um ponto em 12 disputados. Foi na partida de estreia, em casa, diante do Flamengo, na qual teve um homem a mais em campo durante quase 80 minutos.
Em 2017, a equipe comandada por Petkovic também teve um ponto em 12 disputados, conquistado também na estreia. A diferença é que foi fora de casa, diante do Avaí.
A diferença maior em relação ao ano passado está no número de gols marcados e sofridos pelo Vitória. Neste ponto, o torcedor pode escolher entre um dado
favorável e outro muito negativo.
O positivo é que o ataque tem criado muito mais: foram cinco gols marcados na Série A, média de mais de um por partida. O dado negativo é que a defesa tem errado além da conta. Foram, de fato, dois gols sofridos por jogo – não é média, é o número exato.
Tendo as quatro primeiras rodadas como recorte, o melhor início do Vitória na era dos pontos corridos do Brasileirão foi em 2009, quando o rubro-negro conquistou nove pontos em 12 disputados.
Antes de 2017, o pior início havia sido em 2010 e 2008, quando o Leão fez só quatro pontos nas quatro primeiras rodadas. O sistema de pontos corridos começou em 2003, e de lá para cá o Vitória participou de 10 edições da Série A.

Fase crítica
Um dos jogadores mais criticados pela torcida neste início ruim de Brasileirão é o volante Uillian Correia. Titular absoluto de Vagner Mancini, ele disputou os quatro jogos da Série A de 2018.
Curiosamente, ele é o único remanescente a ter disputado também as quatro primeiras partidas de 2017. Correia conquistou vaga no time titular com Petkovic logo depois do término do Baianão.
O volante defendeu o técnico Mancini, também alvo de críticas após a derrota de virada para o Fluminense por 2x1, no último domingo (6): “É um cara querido por nós. Não adianta apontar canhões para ele, trocar treinador, não vai adiantar nada. Se tem um cara que entende o Vitoria, é Mancini. Sabe tudo de futebol. O mesmo grupo do ano passado, que falavam que não prestava, ficou na Série A”. (correio24horas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário