Bahia tem mais de 138 mil bolsas de estudos para o 2º semestre

Quem não conseguiu garantir uma vaga numa universidade pública, mas também não tem grana para bancar um curso numa instituição privada vai contar com estímulos no segundo semestre de 2018. As plataformas Educa Mais Brasil e Quero Bolsas, além do Banco do Nordeste, anunciaram oportunidades para estudantes baianos.
São 138 mil bolsas na Bahia para este segundo semestre, além de financiamento. As oportunidades podem ser aproveitadas com cliques, mas é preciso atenção na hora de escolher. A dica é consultar o Ministério da Educação (MEC) para verificar a avaliação dos cursos e instituições antes de fechar negócio.
Das 55 mil bolsas oferecidas na Bahia pela plataforma Educa Mais Brasil, 20 mil são em Salvador e Região Metropolitana. São 400 cursos de graduação presenciais e de Educação a Distância (EaD) em 68 instituições e 416 campi.
Quem vai aproveitar uma das oportunidades é André Luís Sena, 25 anos. Filho
de pai pedreiro e mãe dona de casa, ele acreditava, até pouco tempo, que o ensino superior era algo impossível.
André começou a trabalhar cedo para ajudar em casa. O emprego de agente de limpeza não permitia que dedicasse o tempo necessário para concorrer às vagas nas universidades públicas e o rendimento de um salário mínimo não era suficiente para bancar uma faculdade privada.

“Não conhecia esse sistema de bolsas, até que um amigo conseguiu uma e me recomendou. Encontrei algumas mensalidades que cabem no meu orçamento na área de Serviço Social. Eu queria mesmo era fazer Psicologia, mas não tem problema, vou fazer o que der. Quero ter uma profissão, hoje o que tenho é uma função”, conta o jovem, que trabalha na higienização de um hospital de Salvador.


André Luís vai aproveitar uma das bolsas (Foto: Evandro Veiga/ CORREIO)
O sonho de André é o mesmo de muitos outros baianos. Há dois anos, Lucas Santos, 24, estava desempregado, mas as coisas mudaram após conversar com uma amiga.

“Fui até a casa dela fazer uma visita. Ela estava cursando uma faculdade e me falou sobre as oportunidades. Começamos a pesquisa e encontramos um curso que me agradou. A própria faculdade tinha um sistema de bolsas. Fiz o vestibular meio desacreditado, mas consegui uma bolsa de 50%”, lembra o estudante, que está no quarto semestre de Administração.

Mais oportunidades
Quem tem pretensões parecidas como as de André ou de Lucas também pode procurar o Quero Bolsa (www.querobolsa.com.br), que tem 83 mil oportunidades em 2,1 mil cursos com até 70% de desconto, em 40 faculdades. Não há taxas após o ingresso.
Em Salvador e RMS são 78 mil bolsas, em 1,7 mil cursos de 30 instituições. Interessados já podem fazer a consulta no site das instituições. Nas plataformas, o estudante não tem despesas após formado.
O Banco do Nordeste informou que também vai facilitar a vida dos estudantes, através do Financiamento Estudantil (Fies), que até então só era realizado pela Caixa. Na Bahia, 106 instituições estão habilitadas e 4.680 cursos.
Ele disse que no início ficou desesperado porque não sabia como faria para pagar os 50% da bolsa do curso de Administração, mas tudo se ajeitou ainda no primeiro semestre quando conseguiu um estágio. Atualmente, ele está no quarto período do curso, mas já foi efetivado no trabalho.

“Eu tomei conhecimento através de minha amiga, mas a internet está repleta de informações que eu não conhecia na época. Quem tiver interesse precisa pesquisar. Esses sites que oferecem bolsas é uma boa opção, além das próprias faculdades que também tem programas de incentivo”, diz.

Passo a passo
Para ganhar uma das bolsas do Educa Mais Brasil ou do Quero Bolsa, o candidato pesquisa nos sites os cursos e instituições desejados.
Quando encontrar a oportunidade que melhor lhe agrada, preenche dados e, depois, paga a pré-matrícula para assegurar a vaga. Em seguida, deve se dirigir até a instituição de ensino escolhida para fazer a matrícula, após um processo seletivo.
Cada uma das oportunidades oferecidas é resultado de uma negociação entre o Educa Mais Brasil e o Quero Bolsa com as instituições e tem validade para todo o curso. Na prática, o candidato que conseguir uma bolsa de 50%, por exemplo, terá esse desconto até o final do curso.
O Educa Mais Brasil cobra uma taxa semestral dos estudantes para garantir a manutenção do serviço. O valor pode ser parcelado em até seis vezes.
A diretora de Expansão e Relacionamento do Educa Mais Brasil, Andréia Torres, conta que existe uma equipe na empresa voltada exclusivamente para negociar as bolsas com as instituições. O percentual de desconto do Educar Mais Brasil é de até 70% em alguns estados. Na Bahia, a maioria das instituições oferecem cerca de 50% de abatimento nas mensalidades.

“O Educa Mais Brasil é um programa de inclusão educacional que permite a quem não pode pagar por um curso o apoio educacional necessário para estudar em uma faculdade”, explica Andréia.

Critérios
Os critérios e pré-requisitos para contratação das bolsas são informados nos sites, antes da pré-matrícula. O diretor de relações institucionais do Quero Bolsa, Marcelo Lima, diz que eles são simples.

“Não existe análise de crédito nem acadêmica. Então, se o estudante tiver com o nome negativado ou algo parecido, não tem problema. Ele precisa apenas de uma boa nota no Enem ou tirar uma boa nota no vestibular da faculdade pretendida. Mas como metade das salas está vazia, ele vai passar com facilidade”, afirmou. Em abril, o CORREIO mostrou que quase 60% das vagas oferecidas em faculdades particulares da Bahia estão ociosas.

Mais informações podem ser consultadas pelo site do Quero Bolsa ou por meio da central de atendimento, no telefone 0800 123 2222, de segunda a sexta-feira, entre 8h e 22h, no horário de Brasília. Por meio da campanha Matrícula Antecipada, a plataforma oferece mais de 1,5 milhão de bolsas em cerca de 1,2 mil faculdades privadas em todo o país.
O Educa Mais Brasil também não consulta SPC nem Cerasa para oferecer as bolsas. Agora, mãos à massa e vamos estudar.

Dez mais
O agente de limpeza André Luís Sena, 25 anos, tem o sonho de se tornar psicólogo, mas não está sozinho nesse desejo. O curso está entre os dez mais procurados em Salvador, segundo um levantamento do Quero Bolsa. Confira abaixo a lista dos mais buscados e o valor médio das mensalidades de cada um deles na capital:

Curso Mensalidade (sem bolsa)
Direito
R$ 1.281
Arquitetura e Urbanismo
R$ 1.238
Enfermagem
R$ 1.200
Psicologia
R$ 1.186
Engenharia de Produção
 R$ 1.146
Engenharia Civil
R$ 1.128
Educação Física
R$ 902
Administração
R$ 780
Ciências Contábeis
R$ 728
Pedagogia
R$ 569
Segundo o levantamento , a oportunidade de formação presencial com menor mensalidade é para Administração pela Isec - com 50% de desconto o valor é de R$ 149,50. Já a Educação a Distância (EaD) com a menor mensalidade é para Negócios Imobiliários pela Estácio, com valor de R$ 85.
O Educa Mais Brasil acrescentou à lista dos mais procurados Gestão de Recursos Humanos, Logística, Serviço Social e Análise e Desenvolvimento de Sistemas.
A oportunidade presencial mais em conta no site é de R$ 130 para curso de Educação Física e R$ 85 para Gestão de Negócios e Gestão de Negócios Imobiliários EaD. Para concorrer a essas ou outras bolsas basta acessar o site, preencher o cadastro e fazer a pré-matrícula.
Além dos mais procurados, há as carreiras em alta. Mas a a vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos Seccional Bahia (ABRH Bahia), Margot Azevedo, alerta a plena transformação em que se encontra o mercado de trabalho: “As profissões que vão estar em alta nos próximos dez anos ainda não existem, serão inventadas”.
Porém, ela revela que algumas tendências já estão delineadas para os próximos anos. E há demanda por profissionais de áreas ligadas à inovação.

“Uma área que tem sempre lugar é a área de tecnologia. Vemos aí o fenômeno da indústria 4.0, nanotecnologia, robotização, que não apenas estão em alta agora, mas vão continuar”, diz.

Além de cursos ligados à tecnologia da informação, as engenharias ganham destaque como formações atreladas às demandas futuras do mercado. “A área de engenharia, de uma forma geral, como a mecânica, mecatrônica, a elétrica e tantas outras ligadas à inovação, está em franco crescimento”, aponta a especialista em recursos humanos.
Por mais que possa parecer surpreendente, profissões como agronegócio e aquelas ligadas à beleza e ao bem estar físico só tendem a crescer. “O mercado da beleza e bem estar é o terceiro ou quarto em termos de crescimento no mundo e o Brasil está super bem situado neste movimento. Áreas como perfumaria, cosmetologia e todo este mercado de saúde voltado ao bem estar deve ficar em alta”, avalia.
Ela pondera, entretanto, que de nada adianta o estudante se formar numa área que esteja em alta no mercado se não houver identificação com a profissão escolhida. “O jovem nunca vai se dar bem se de fato ele não tiver o talento, o brilho nos olhos por aquela área. Quando a gente trabalha no que a gente gosta é natural que se destaque”, diz, considerando este o principal fator da escolha profissional. (correio24horas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário