'Corrupção na Odebrecht é a mais organizada da história do capitalismo', aponta pesquisa

Uma pesquisa da Transparência Internacional, ONG que atua no combate à corrupção no mundo, apontou que o esquema de corrupção da construtora brasileira Odebrecht, escândalo que veio à tona através da Operação Lava Jato, investigando a companhia por comprar políticos e diretores da Petrobras em troca de contratos, “é o mais bem organizado caso de corrupção já desvendado na história do capitalismo”.
De acordo com Bruno Brandão, diretor-executivo da entidade no Brasil, em entrevista à revista Exame, a ONG lançou um relatório sobre corrupção internacional, em que destaca cinco casos emblemáticos envolvendo grandes empresas. Há no documento um capítulo especial sobre o escândalo da Odebrecht, que contabiliza 788 milhões de dólares pagos em propina a políticos e agentes do governo de 12 países durante mais de uma década.
“Todos os casos têm características básicas essenciais, mas o da Odebrecht é diferente, nunca vimos nada igual”, disse Brandão. Segundo ele, o grande diferencial do esquema elaborado pela construtora é o padrão de atuação, usado em todos os países onde a companhia atuou de forma ilícita, a saber: Angola, Argentina, Brasil, Colômbia, República Dominicana, Equador, Guatemala, México, Moçambique, Panamá, Peru e Venezuela.
Nas palavras do diretor-executivo da Transparência Internacional, a construtora criou uma espécie de “fordismo da corrupção”. Tamanha profissionalização resultou em nada menos que 3,34 bilhões de dólares em “pagamentos e/ou lucros oriundos da corrupção”, diz o relatório da Transparência Internacional.
Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário