Justiça Eleitoral recebe 231 denúncias de eleitores contra candidatos na Bahia

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) já recebeu 231 denúncias de irregularidades na campanha de candidatos baianos. As acusações foram feitas por meio do aplicativo Pardal, desenvolvido pela Justiça Eleitoral e usado pela primeira vez nas eleições de 2016. As principais denúncias são de propaganda irregular, com 155 casos apontados, o que equivale a 67% do total. O uso da máquina pública para fazer campanha, com 28 ocorrências (12%), vem depois. Vinte denúncias foram por conta de crimes eleitorais e nove por compra de votos. Em todo o Brasil, até a noite de ontem, 5.116 ocorrências haviam sido levadas por cidadãos ao TSE pela ferramenta. Entre os estados, São Paulo lidera, com 656 casos. Em seguida estão Pernambuco, com 653, e Mato Grosso, com 294.

Entre as cidades
Na Bahia, as denúncias foram registradas em 47 municípios, sendo que o maior
volume se concentra em Salvador, com 82 casos. Em segundo está Eunápolis, com 16 ocorrências, seguido por Itamaraju, com 14.

Pelos gabinetes
PSD e PP articulam uma aliança de olho na presidência da Assembleia Legislativa, hoje ocupada pelo pessedista Angelo Coronel. Consideradas as mais fortes da base governista, as duas legendas conversam para que o próximo comandante do Legislativo baiano seja de uma delas, evitando que um possível nome indicado pelo PT chegue ao posto. Acompanhando a movimentação, um grupo de caciques da Casa, de governo e oposição busca estratégias para fazer um contra-ataque à mobilização de pepistas e pessedistas. Tudo dependerá do resultado das eleições.

Cofres cheios
Um único candidato a deputado estadual pelo PDT tem patrimônio maior do que todos os 14 postulantes a governador e vice, juntos, nas eleições deste ano. Trata-se de Raimundinho da JR, o mais rico entre os candidatos à Assembleia Legislativa, cujo valor dos bens declarados à Justiça Eleitoral soma pouco mais de R$ 20 milhões. Os bens dos candidatos ao Palácio de Ondina e seus vices somados chegam a R$ 9,5 milhões, menos da metade do patrimônio de Raimundinho, que foi candidato a prefeito de Dias D’Ávila na eleição passada.

Perfil ideal
O perfil ideal para o próximo presidente, sob a ótica do mercado financeiro, é aquele que conseguir formar uma coligação para avançar com as principais reformas do país. A afirmação é do analista político Erich Decat, da XP Investimentos, que acredita em uma reaglutinação de partidos após as eleições. “A grande dificuldade, independente de quem vai ser eleito, é o day after. Há uma tendência de reaglutinação de forças pós-eleições”, disse, à Satélite, ao participar de um evento da ACT Investimentos.

Diálogo médico
A Associação Bahiana de Medicina (ABM) espera reunir, na próxima terça, todos os 33 médicos candidatos a deputados estadual e federal nas eleições deste ano. O objetivo é discutir medidas e pautas para a saúde nos legislativos.

"Os eleitores que votam dessa forma demonstram, ao votar branco ou nulo, o inconformismo e a insatisfação com o modelo, com os candidatos, enfim, com o quadro político em geral", Roberto Pontes, consultor legislativo da Câmara dos Deputados, ao afirmar que o percentual de votos brancos e nulos para deputado federal quase dobrou de 2002 a 2014. Em 2002, dos eleitores que compareceram às urnas, a soma dos votos em branco e dos nulos foi de 8%. Já na corrida eleitoral de 2014, o percentual chegou a 15%

"O caminho é para a unificação em torno de um nome (para a disputa pela presidência da Câmara Municipal de Salvador). É algo do jogo as candidaturas que estão postas. Eu espero que unifique em torno do meu nome", Geraldo Júnior, secretário municipal de Esporte, Trabalho e Lazer e pré-candidato à presidência da Câmara, ao afirmar que, na reta final da disputa, as candidaturas devem afunilar. Hoje, além dele, outros três vereadores articulam para assumir o comando do Legislativo (correio24horas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário