Bahia tem quase 10% da população sem nenhum dente

O cuidado com a saúde dos dentes é importante, pois pode ajudar, também, a prevenir doenças cardíacas, renais, cerebrais e até mesmo câncer. Mas, os números apontam que a realidade é bem diferente junto à população. Conforme dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a Bahia possui 9,1% da população sem nenhum dente, considerando pessoas acima dos 18 anos.
Os dados são do ano de 2013. Naquela época, embora quase 90% dos adultos baianos (86,9% das pessoas) afirmassem escovar os dentes ao menos duas vezes por dia, só 4 em cada 10 (42,9%) usavam pasta, escova e fio dental na higiene bucal. Além disso, considerando-se toda a população (não apenas os adultos), só pouco mais de 1 em cada 3 pessoas (35,9%) havia frequentado o dentista nos últimos 12 meses.
O resultado dessa equação é que 4 em cada 10 adultos no estado (42,3% das pessoas de 18 anos ou mais de idade) não consideravam sua saúde bucal muito boa ou boa. Em todo o país, 11% dos brasileiros (ou mais de 20 milhões de pessoas) são desdentados e 41,5% das pessoas com mais de 60 anos já perderam todos os dentes.
Por outro lado, a maior parte daqueles que procuram um dentista realiza o procedimento em um consultório particular (74,3%) – quase 20%, apenas, são feitos no sistema público, conforme o Instituto. No estado, segundo a Associação Brasileira de Odontologia - Seção Bahia (ABO-BA), são cerca de 15 mil profissionais a disposição da população.
“É uma questão de saúde pública. Essa mudança nos índices precisa partir dos nossos dirigentes, que dessem mais cobertura à saúde bucal como tudo”, afirmou Angélica Behrens, presidente da Associação. De acordo com ela, a própria ABO-BA e outras entidades particulares possuem um trabalho voltado para esse cuidado com a população carente, “mas temos limites de atendimento, pois não temos convênio com o SUS”, acrescentou.
Ao todo, são 20 entidades filantrópicas atendidas, entre elas Projeto Axé, Pracatum e Fundação Cidade Mãe. Tudo de forma gratuita à população. Em todo o país, a mais de 300 associações que compõem a ABO Nacional fazem parte do projeto “Sorriso do tamanho do Brasil” que trabalha, principalmente, na parte da prevenção. Só em 2017, mais de 152 mil pessoas foram beneficiadas.

PREVENÇÃO
Conforme a especialista, a prevenção ainda é o melhor caminho para que uma má saúde bucal não interfira no corpo, como um todo. E isso tem que ser feito desde o início, na infância. “É o melhor jeito. É o mais barato, tanto para quem esteja fazendo, quanto para o governo. Muitas escolas públicas já lidam com isso, com os seus ‘escovódromos’, outras ensinam a necessidade da escovação após o lanche, assim como lavar as mãos”, comentou.
Ela ressaltou os avanços na área de odontologia, tanto em exames, quanto em procedimentos, nas mais diversas áreas e para todas as faixas etárias, reduzindo, assim, os custos à população. Ela acredita que a desinformação, por parte da população em geral, é o grande problema a ser enfrentado para que o paciente busque com mais frequência o dentista – a fobia ao profissional é uma das justificativas mais comuns daqueles que deixam de ir a um consultório.
O problema é que esse descuido pode trazer riscos à longo prazo ao paciente, segundo a presidente da ABO-BA. “Ele pode ser acometido por várias doenças. Está cientificamente comprovado que a pessoa que tem um abscesso ou uma infecção na boca pode ter uma cardiopatia. Se ele for diabético e tiver uma infecção na boca, por exemplo, ela pode agravar a condição sistêmica dele A boca faz parte de um organismo como um todo e temos de observá-la como observamos, por exemplo, os olhos e os ouvidos”, alertou Behrens.

Congresso Internacional traz novidades

Nesta quinta-feira, 25, as principais novidades na área de odontologia estarão em destaque no 19º Congresso Internacional de Odontologia da Bahia (CIOBA), que será realizado, até o dia 27, no Hotel Fiesta, no bairro do Itaigara. O evento vai reunir especialistas do Brasil e do exterior e tem como um dos patrocinadores o Governo do Estado. Além da parte acadêmica, homenagens ao Dia do Dentista, celebrado hoje, estão previstas.
“Além dos parabéns aos dentistas, deixo registrada a qualidade dos profissionais baianos que temos hoje no mercado, de excelência. A gente está capacitado para resolver qualquer problema de saúde bucal para a melhor saúde integrativa de todos os nossos pacientes”, afirmou Angélica Behrens, presidente da ABO-BA.
Nas ações voltadas à comunidade, nesta quinta acontece o “Escovódromo”, onde 300 crianças de escola pública municipal realizam a escovação dental supervisionadas por uma equipe de cirurgiões-dentistas da associação. Na oportunidade, será aplicado flúor e feita uma triagem nas crianças que apresentarem cárie. Todos os participantes receberão um kit de higiene oral com escova, pasta de dente, sabonete e cartilha educativa. O evento será na sede da ABO-BA, no bairro da Pituba.
Já no dia 27, a Associação vai realizar um atendimento para a população adulta que também comparecer ao mesmo local. Na ocasião, será feito um exame clínico oral para pesquisa de lesões na boca e, se confirmadas alterações patológicas que sigam o protocolo de evidência do diagnóstico do câncer de boca como, por exemplo, ferida nos lábios e mau hálito persistente, o paciente será encaminhado para tratamento no Hospital das Clínicas, no bairro do Canela.



*TribunadaBahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário