Clima eleitoral leva a piora da saúde mental de brasileiros, apontam profissionais

Com a proximidade da definição das eleições presidenciais, no próximo domingo (28), um número maior de brasileiros passou a buscar apoio de psicanalistas e psicólogos. De acordo com profissionais, o mal-estar relacionado ao clima agressivo do período eleitoral chegou aos consultórios.
Em entrevista à AFP, o psicanalista Admar Horn, integrante da Sociedade Brasileira de Psicanálise (SBP), afirmou que 80% dos pacientes têm expressado sofrimento relacionado às eleições. "Meus pacientes sentem uma angústia crescente porque estão diante do desconhecido", acrescentou. Entre os principais motivos desse sentimento, estão um "ambiente perigoso" e "um medo terrível de um retorno a um regime de extrema direita".
Da mesma forma, o psicólogo Antonio Alberto Rito contou que os novos pacientes o procuram "com angústia e mundo medo". "Em quase 20 anos de profissão, é a primeira vez que vivencio isto", contou. Para ele, há um "clima de polarização, de negação do outro, de raiva muito forte" entre os pacientes. "Uma paciente chegou a me dizer que se eu não votasse no Bolsonaro, não viria nunca mais". Há relatos de sintomas como alterações do estado de ânimo, insônia, pesadelos e crises de bulimia.
Há ainda casos específico, como um aumento de fobias entre membros da comunidade LGBT. "Pessoas que tinham encontrado o seu lugar na sociedade, mas que começam a sentir muito medo de sair na rua, de ser agredidas", relatou o psicanalista Fernando Rocha, também membro da SBP. "Quase todos os meus pacientes estão muito preocupados com o que pode acontecer com eles, estão angustiados e às vezes, deprimidos", completou.


*BN

Nenhum comentário:

Postar um comentário