Contra São Paulo, Vitória terá baixa na zaga pelo 3º jogo seguido

Nas últimas rodadas, quem tem escalado a zaga do Vitória não é o técnico, Paulo Cézar Carpegiani. São as circunstâncias. Contra Chapecoense e Corinthians, o rubro-negro teve desfalques no setor. E será assim mais uma vez diante do São Paulo, na sexta-feira (26), às 19h30, no Barradão.
Aderllan é jogador do Valencia (ESP), mas por ter vindo por empréstimo do tricolor paulista para o Leão, o zagueiro não poderá estar em campo por força de uma cláusula contratual. Assim, a zaga terá, forçosamente, Ramon e Lucas Ribeiro.
No empate em 2x2 com o Corinthians, no último domingo (21), a dupla foi formada por Lucas Ribeiro e Aderllan porque Ramon estava suspenso.
No triunfo por 1x0 sobre a Chapecoense, no final de semana anterior, a zaga teve Ramon e Aderllan porque Lucas Ribeiro estava à serviço da seleção
brasileira sub-20.

Não só na zaga
Não é só na defesa. Nos três jogos citados, Carpegiani teve problemas também no meio-campo e no ataque. Contra o Timão, o técnico também não contou com o volante Léo Gomes e o atacante André Lima, lesionados.
Diante da Chapecoense, as baixas foram, além de Lucas Ribeiro, o meia Rhayner e o atacante Maurício, suspensos. Contra o São Paulo, Léo Gomes e André Lima não devem se recuperar a tempo de suas lesões.

Muitos problemas
Estendendo ainda mais essa discussão, é possível ver que, desde que assumiu o comando do Vitória na derrota por 3x0 para o Palmeiras no Barradão o técnico rubro-negro nunca contou com todo o seu elenco à disposição.
Na maioria dos casos, Carpegiani teve pelo menos dois desfalques (veja a lista com as baixas, jogo a jogo, abaixo). Em apenas uma partida o comandante teve só um desfalque: contra o Atlético-MG – triunfo por 1x0, quando o volante Arouca, lesionado, foi o único fora de ação.
O duelo com o Fluminense, no Maracanã, pela 23ª rodada, foi o compromisso com mais baixas, seis, e de todos os tipos. De cláusulas contratuais caso de Lucas Fernandes a suspensos e lesionados. Ainda assim, o Leão arrancou um empate em 0x0.
Detalhe que a lista, que já assusta, não conta com alguns jogadores machucados a longo prazo, que em verdade nunca estiveram à disposição de Carpegiani. São os casos do lateral-esquerdo Juninho e do atacante Luan.

Evolução
Aos poucos, ainda que lentamente, o problema vai se resolvendo. Um dos atletas que praticamente perdeu o começo de trabalho de Carpegiani foi o volante Arouca.
Ele não pegou o Palmeiras, na estreia do treinador, por cláusula contratual. Foi titular contra o Flamengo e se lesionou. Só voltou diante do Botafogo, cinco rodadas depois. Diante do Corinthians, retomou a titularidade.
“Todos querem jogar, e comigo não é diferente. Carpegiani me deu a chance de entrar contra a Chapecoense e de iniciar essa partida. Espero trabalhar bem essa semana e ver por quem ele vai optar”, disse o volante.


*Correio24horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário