À flor da pele: conheça algumas doenças que podem ter fundo emocional

Coceira, inflamação, manchas. Você sabia que alterações na sua pele podem ter fundo emocional? Sim, ela é um dos órgãos do nosso corpo mais vulneráveis a fatores psicológicos, e diversas manifestações na pele podem ser um sinal de que as suas emoções estão fora de controle. A médica dermatologista Marília Acioli, da Clínica Osmilto Brandão, em Salvador, chama atenção para algumas dessas doenças: 

Urticária: marcada pelo aparecimento de placas avermelhadas na pele acompanhadas de coceira intensa, irritação e inchaço. Quando é motivada por fatores emocionais, geralmente as causas estão ligadas a estresse, excesso de trabalho, conflitos familiares, alguma frustração ou outro fator de tensão.

Vitiligo: aparecimento de manchas esbranquiçadas decorrentes da perda de melanócitos (células que produzem melanina – pigmento que dá cor à pele). Situações de estresse podem ser um gatilho para a doença: se a pessoa tiver tendência genética a desenvolver, ela pode se manifestar após uma situação de tensão

Dermatite seborreica: inflamação da pele acompanhada por vermelhidão, coceira e descamação em áreas do corpo com maior concentração de glândulas sebáceas como em torno do nariz, nas sobrancelhas, atrás da orelha, na face e no peito. No couro cabeludo é o que popularmente chamamos de caspa. Estresse elevado podem desencadear os episódios.

Alopecia areata: perda de pelos e cabelos deixando falhas bem delimitadas em formato arredondado. É comum aparecer no couro cabeludo. Traumas ou situações de estresse podem desencadear o problema. Uma dica da Drª. Marília é: “se seu cabeleireiro te sinalizou que há uma área que está sem crescimento de cabelos, é importante procurar um dermatologista para avaliar”.


*Tribuna da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário