Elenco do Leão tem apenas um centroavante aprovado para 2019

Faltando nove dias para a apresentação do elenco que iniciará a temporada 2019, no dia 2 de janeiro, a diretoria do Vitória corre contra o tempo em busca de reforços.
Até o momento, o clube anunciou apenas o zagueiro Gabriel Silva, para o time sub-23, mas tem negociações avançadas com o meia Andrigo e o zagueiro Thales, ambos do Internacional, e o meia Ruy, do Coritiba. Um setor, porém, inspira cuidados: o ataque. Mais precisamente, a camisa 9.
A posição foi um problema para o Leão no Campeonato Brasileiro que precisa ser resolvido no próximo ano. Sem André Lima, dispensado antes mesmo do fim da temporada, atualmente o elenco principal conta com três nomes que podem atuar como referência no ataque.
O problema é que entre Léo Ceará, Walter Bou e Maurício Cordeiro, apenas o jogador formado na base do Leão foi aprovado em 2018.
Artilheiro do Leão no Brasileirão com cinco gols, Léo desponta como favorito a
ser o titular no atual time de Marcelo Chamusca. Enquanto isso, Maurício Cordeiro, que tem contrato até dezembro de 2019, não conseguiu se firmar como dono da posição e foi testado em outras funções.
Situação ainda mais complicada o clube vive com o argentino Walter Bou. Contratado para ser o goleador do Leão na Série A, Bou passou bem longe disso e terminou o ano sem ter marcado um golzinho sequer nas oito partidas que disputou.
Além disso, o alto salário do jogador preocupa a diretoria do Vitória, que trabalha para devolver o atacante ao Boca Juniors ou repassá-lo para outra equipe. O futebol argentino deve ser o destino.
Outro que tem contrato com o Vitória é Jonatas Belusso. O atacante, no entanto, está fora dos planos do Leão. Emprestado ao Coritiba até o final do contrato, em dezembro de 2019, ele deve ser repassado ao América-MG.
Após o Brasileirão, a diretoria rubro-negra chegou a sondar e esboçou um possível retorno do ídolo Neto Baiano. O jogador de 36 anos está sem clube desde que deixou o CRB, equipe pela qual disputou a Série B deste ano.
Em 53 jogos pelo time alagoano, Neto balançou as redes 22 vezes. No entanto, apesar do interesse do atleta, a contratação foi descartada pelo time baiano.

Olho na base
A explicação para a demora no anúncio dos reforços está na forte concorrência que o rubro-negro vem enfrentando, principalmente do mercado paulista. Por isso, a solução vai passar pelos atletas formados na base.
Joia rubro-negra, o garoto Eron está em treinamento com o time sub-23, comandado por João Burse e que vai iniciar a temporada e disputar o Campeonato Baiano. O jogador de 20 anos pode ser puxado por Marcelo Chamusca para o time principal ao longo do ano.
“Vamos ter uma atenção especial com eles (atletas da base) porque o clube precisa voltar a sua essência, que na minha opinião sempre foi a de revelar jogadores. Por que não resgatar isso agora? Além de ser a essência do clube, existe uma necessidade financeira. Vamos mesclar estes jogadores que têm uma identificação com o Vitória aos que virão com vontade de crescer na carreira, mais maduros. E teremos também os mais ‘cascudos’, com vivência na Série B, para que possam exercer no nosso vestiário um perfil de liderança”, explicou o treinador em entrevista ao jornal Correio.
Além de Eron, o elenco sub-23 rubro-negro conta ainda com os atacantes Ruan Potó, 19 anos, Cléber, 22, e Flávio, 20.


*Correio24horas

Nenhum comentário:

Postar um comentário