IML demora 9 h para retirar corpo de mulher morta em ponto de ônibus

O corpo de uma mulher, morta após passar mal num ponto de ônibus, demorou mais de nove horas para ser retirado pelo Instituto Médico Legal (IML) da Polícia Científica de São Paulo. A Secretaria da Segurança Pública (SSP) informou que essa demora não é padrão e irá apurar o caso ocorrido na segunda-feira (3) na Zona Norte da capital.
A pastora evangélica Isabel Cristina Vieira de Souza tinha 48 anos e, segundo testemunhas, morreu às 17h da tarde de segunda no Tucuruvi. Somente às 3h da madrugada desta terça-feira (4) é que o IML foi acionado para retirar o cadáver.

Morte
Isabel tinha ido a um mercado na Avenida Coronel Sezefredo Fagundes, e depois iria pegar um ônibus pra casa. Mas não se sentiu bem e caiu sem vida no
ponto.
Uma equipe de resgate da Secretaria estadual de Saúde chegou a ir ao local, mas não conseguiu reanima-la.

Delegacia
O boletim de ocorrência do caso foi registrado no 20º Distrito Policial (DP), Água Fria, às 20h. Segundo o documento, a morte de teria sido às 17h41.
Segundo informações da Polícia Civil, a perícia passou pelo local pouco antes da meia-noite, quase quatro horas depois que o caso foi registrado na delegacia.
O corpo de Isabel continuou no ponto, na calçada, ao lado da rua à espera do veículo que o levaria ao IML, o que ocorreu somente na madrugada desta terça.


*G1/SP

Nenhum comentário:

Postar um comentário