Combate ao Aedes aegypti deve ser intensificado no Verão

O verão é a estação mais propícia para o desenvolvimento do Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika. Isso porque o clima quente e as chuvas favorecem a reprodução do mosquito. Segundo dados do último levantamento da Secretaria Estadual da Saúde (Sesab), de janeiro a novembro de 2018, foram registrados 8.760 casos suspeitos de dengue, 4.080 de chikungunya e 1.296 casos suspeitos de zika.
Os números alertam para a importância de intensificar os cuidados com o combate ao mosquito para prevenir essas doenças virais. Evitar o acúmulo de água é a principal forma de prevenção dessas doenças, pois qualquer local pode se tornar criadouro do mosquito.
Contudo, o risco maior está no acúmulo de água em calhas, pneus, vasos e garrafas com água parada e limpa. “A reprodução do mosquito é rápida, leva aproximadamente uma semana, o que colabora para o aumento no número de casos”, alertou o médico de família e comunidade, Marlon Chagas Magalhães, da clínica de Atenção Integral à Saúde da Central Nacional Unimed em Salvador.
O especialista lembrou que, a longo prazo, as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti podem trazer consequências graves, a exemplo de dores incapacitantes, microcefalia em bebês e até mesmo a morte. Por isso, combater o mosquito é a forma mais eficiente de prevenção.
Porém, é preciso estar alerta para alguns sintomas que possam indicar essas doenças, como febre alta, dor de cabeça, dores pelo corpo, indisposição, dores nas articulações, náuseas, manchas na pele e vermelhidão nos olhos. Ao sentir esses sintomas, o desaconselhável é procurar um médico.

Dicas
Para combater o mosquito Aedes Aegypt é preciso evitar água parada em qualquer local em que ela possa se acumular, em qualquer época do ano. As principais medidas de prevenção e combate ao Aedes Aegypti são: Manter bem tampado tonéis, caixas e barris de água, lavar semanalmente com água e sabão tanques utilizados para armazenar água, manter caixas d’agua bem fechadas, remover galhos e folhas de calhas, não deixar água acumulada sobre a laje, encher pratinhos de vasos com areia ate a borda ou lavá-los uma vez por semana, trocar água dos vasos e plantas aquáticas uma vez por semana, manter garrafas de vidro e latinhas de boca para baixo, acondicionar pneus em locais cobertos, fazer sempre manutenção de piscinas, tampar ralos, colocar areia nos cacos de vidro de muros ou cimento e não deixar água acumulada em folhas secas e tampinhas de garrafas.



*Tribuna da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário