Mirando em contrato da Red Bull, Baiano disputa torneio mundial inédito de eSports

O baiano Rodrigo Souza vai representar o Brasil na etapa mundial do Red Bull M.E.O (Mobile Esports Open), competição inédita de esportes eletrônicos para plataforma mobile. O torneio vai reunir jogadores de mais de 30 países, neste sábado (2) e domingo (3), na Alemanha. No último dia, as fases finais serão transmitidas ao vivo, em português, pela internet na página oficial da marca de energético no Facebook (clique aqui), a partir das 11h no horário de Salvador. As disputas contarão com três games: Arena of Valor, Brawl Stars e Clash Royale, sendo este último a praia do garoto da Bahia, de 19 anos. Confiante no próprio taco ou melhor, no próprio teclado, ele acredita que a mala voltará mais pesada.

"Estou confiante. Espero trazer o troféu para casa", declarou em entrevista ao Bahia Notícias.


A Red Bull está pagando todas as despesas da viagem de Rodrigo para a Alemanha. Apesar disso, ele ainda não foi contratado pela empresa e nutre esperanças em receber um contrato após a disputa do mundial. "Quem sabe após o torneio não me contratem? Eles ainda não tem um line up (equipe) no Clash [Royale], mas seria uma boa", afirmou.


                            Foto: Pavel Sukhorukov / Red Bull Content Pool

Nascido em Santo Antônio de Jesus, a quase 200 km de Salvador, The Ice, como é apelidado no mundo dos games pelo estilo frio e calculista, conquistou a vaga para o torneio na Alemanha após ser campeão do Red Bull M.E.O Brasil, disputado em dezembro do ano passado. Rodrigo começou a jogar o Clash Royale em 2016. "Gostei muito da praticidade e jogabilidade que o jogo oferece para os usuários, então fui me dedicando a aprender as estratégias por trás do game", disse.

Em 2018, o baiano disputou o torneio mais importante por equipes do jogo, o Clash Royale League (CRL). "Teve seletivas para o combine (tipo o draft da NBA) e quem conseguisse passar, poderia competir profissionalmente por uma equipe. Eu me inscrevi, joguei o torneio e consegui passar, indo então para a Colômbia jogar o combine e tentar ingressar em alguma equipe para jogar a "CRL". Consegui ir bem e tive a proposta de jogar pela RED Canids, uma equipe muito famosa em outros eSports, como o LOL. Eu aceitei e em agosto fui pro México disputar o torneio representando o time, mas infelizmente não consegui jogar o torneio todo, por alguns problemas. Basicamente foi assim que me tornei um jogador profissional", contou. Desde então, ele dedica 100% do seu tempo à nova profissão no eSports e treina cerca de seis horas diariamente.
                                                Foto: Divulgação
Os jogos eletrônicos fazem parte da vida de Rodrigo desde os nove anos de idade, no entanto ser jogador profissional não estava nos seus planos. "Nunca havia imaginado. Surgiu a oportunidade e não deixei passar. Então, simplesmente aconteceu", falou ele, que antes do Clash Royale, jogava Warface, Point Blank, FIFA, God Of War e Mortal Kombat.

Rodrigo não era o único que não se imaginava jogador profissional de eSports. Sua família teve medo no início da aventura. "Era algo novo tanto pra mim quanto pra eles, então tinham medo de ser algo diferente do que eu imaginava", Explicou. Mas, a incerteza deu lugar à alegria ao ver garoto tendo sucesso. "Ficaram contentes por eu ter conquistado meu espaço no cenário e me apoiaram em todos os sentidos", completou.

CLASH ROYALE
Produzido pela Supercell, o Clash Royale é um jogo de cartas e estratégia, que mistura também combate, com personagens em 3D, como arqueiras, bárbaros, bruxas e goblins. As animações são divertidas e o pacote visual contra com uma trilha sonora bem encaixada nos combates. O jogo é disponível para baixar no Android (via Google Play) e iOS (via App Store) gratuitamente e já bateu recordes de downloads. Apesar de ser grátis, o usuário também pode comprar a moeda do jogo ou gemas com dinheiro real. É um dos jogos mobile que mais crescem no cenário competitivo.
No Clash Royale, o jogador precisa montar decks com poucas cartas e desafiar outros jogadores em partidas online. Cada carta possui um custo de elixir para ser invocada. O jogador pode esperar a barra de elixir encher para fazer combos, ou seja, invocar vários personagens de uma única vez. Nas batalhas, cada jogador tem duas torres e um castelo. O objetivo é destruir as estruturas do adversário primeiro. Os combates tem um tempo limitado e caso ninguém consiga destruir a estrutura inimiga, é declarado empate.
                                                          Foto: Divulgação / Supercell
Fonte: Bahia Noticias

Nenhum comentário:

Postar um comentário