Ferryboat Agenor Gordilho será afundado para virar atração turística

Foram 45 anos servindo à travessia Salvador-Itaparica e levando em cada viagem até 600 passageiros e 90 veículos. Depois de anos de serviço e parado desde o final de 2017, o ferry-boat Agenor Gordilho vai ganhar uma nova função. Está previsto para o segundo trimestre deste ano o naufrágio controlado da embarcação, que passará a servir de atração para o turismo de mergulho.
Segundo informações da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba), responsável pela fiscalização do serviço, a vida útil de embarcações como a Agenor Gordilho gira em torno de 30 anos. Portanto, diante da idade do barco e do custo benefício de uma recuperação, a reforma não era indicada. Desta forma, o Governo do Estado decidiu atribuir função turística ao ferry, que havia passado por uma reforma de cerca de R$ 5 milhões em 2013.
Meio ambiente
A nova atração deve naufragar na própria Baía de Todos-os-Santos até o meio deste ano, mas os estudos para a realização do afundamento já estão acontecendo desde setembro de 2018. Hoje, o Estado aguarda licença ambiental do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema).
O ferry, que se encontra no terminal marítimo de Bom Despacho, em Itaparica, está em fase final de preparação para o procedimento. Isso inclui a retirada de peças que possam representar riscos aos mergulhadores, bem como de todo material potencialmente tóxico, evitando a contaminação do meio ambiente. Antes do afundamento, a embarcação será vistoriada. Equipes da Marinha e de órgãos ambientais também realizarão inspeções, segundo informações da Secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur).


*Correio da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário