Médico esquarteja mulher e joga partes no vaso sanitário ao descobrir que ela era transexual

Um médico é acusado de estrangular e esquartejar uma mulher ao descobrir que ela era transexual, na cidade de Kursk, na Rússia. Segundo o portal Daily Mail, a vítima, identificada como Nina Surgutskaya, de 25 anos, tinha se encontrado com o homem horas antes de ser morta na casa dela. O crime aconteceu durante o ato sexual e o suspeito, Mikhail Tikhonov, de 27 anos, confessou o assassinato.
De acordo com a publicação, no momento da relação sexual, o médico percebeu que a mulher tinha sido submetida a uma cirurgia de mudança de sexo. No momento do sexo, ele teria estrangulado a jovem em cima da cama. Com o intuito de esconder o crime, ele então cortou os órgãos internos em pequenas partes e jogou no vaso sanitário.

Outras partes do corpo de Nina foram colocadas no forno para evaporar o excesso de líquido. No momento em que foi preso, ele tentava se livrar de partes das costelas da vítima, que seriam jogadas em latas de lixo.
De acordo com a polícia, o acusado pode pegar até 20 anos de prisão, por assassinato e mutilação de cadáver.

*Varela Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário