PF faz operação contra fraude em seguro-desemprego; cidade da Bahia é alvo de investigações

A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda feira (15) a Operação Mendacium, que visa desarticular organização criminosa especializada em fraudes no seguro-desemprego.
O nome da operação vem da mitologia romana e faz referência a espíritos que personificam a mentira e a falsidade. Em latim, a palavra “mendacium” significa mentira. 21 um mandados de prisão preventiva e 12 de busca e apreensão são cumpridos em São Paulo, Mauá (SP), Porangatu (GO) e no município baiano de Ibicuí.
Segundo a PF, 408 empresas inexistentes foram identificadas pela investigação. Elas foram abertas por membros da organização criminosa, visando benefícios de seguro-desemprego.

De acordo com o Ministério da Economia, cerca de R$ 20,5 milhões em benefícios fraudulentos foram recebidos pela organização criminosa entre os anos de 2015 e 2019. R$ 10,5 milhões foram bloqueados, valor que ainda seria alcançado pelo grupo.
Os crimes começaram a ser apurados ainda em 2017, pela Polícia Federal em Presidente Prudente (SP), por conta da denúncia de um trabalhador que revelou que uma pessoa estaria recebendo o benefício em seu nome. Diante da informação prestada, foram identificadas 408 empresas inexistentes de fato, cuja grande parte a organização criminosa havia feito uso para o recebimento fraudulento de benefícios de seguro-desemprego.
Na primeira fase da investigação foram cumpridos 4 mandados de busca e apreensão, nas cidades de São Paulo/SP e Taboão da Serra/SP, ocasião em que os líderes da organização criminosa foram encontrados em um escritório, localizado no bairro Penha de Franca na cidade de São Paulo, na posse de inúmeros documentos falsos, apetrechos para a falsificação de documentos, material de informática e aproximadamente R$ 420 mil em espécie.
A partir da análise dos materiais apreendidos nesta primeira fase, foi possível identificar membros adicionais do grupo, que continuaram em atividade após as prisões dos líderes.


*Varela Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário