Brasil está entre os 10 piores países para trabalhar, aponta relatório

O Brasil foi incluído, pela primeira vez, na lista do Global Rights Index (Índice de Direitos Globais) dos 10 piores países para o trabalhador.
O relatório é elaborado pela Confederação Sindical Internacional (CSI), que leva em consideração a adoção de leis regressivas, repressão violenta de greves e protestos e ameaças e intimidação de líderes sindicais. O Zimbábue também entra no ranking pelos mesmos motivos. Para a CSI, a marca do índice desse ano é o desmantelamento sistemático dos fundamentos da democracia no local de trabalho e a repressão violenta de greves e protestos que colocam a paz e a estabilidade em risco.

Ao lado do Brasil e do Zimbábue, países como Colômbia, Argélia, Bangladesh, Guatemala, Cazaquistão, Filipinas, Arábia Saudita e Turquia completam a lista.
O Global Rights Index 2019 classifica 145 países usando 97 indicadores internacionalmente reconhecidos que usa pontuações de um a cinco mais para avaliar onde os direitos dos trabalhadores são melhor protegidos por lei e na prática. Para a entrada do Brasil nos 10 piores pesou a pontuação 5 que indica nenhuma garantia de direitos, o que não significa que o país está só nesse critério.


*Varela Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário