Indústria do petróleo paga sete vezes mais do que a média, diz IBGE

O setor industrial que tem os melhores salários do país, a extração de petróleo e gás pagou em 2017 sete vezes mais do que a média dos salários pagos em outras atividades industriais, segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).
As informações fazem parte da Pesquisa Industrial Anual, divulgada nesta quinta pelo instituto. A pesquisa mostra que, enquanto os salários médios da indústria recuaram 12,8% em uma década, o rendimento de quem trabalha com petróleo e gás subiu 76,1%, segundo a Folha de São Paulo.
Em 2017, as empresas de petróleo e gás pagaram salários médios equivalentes a 21,3 salários mínimos, enquanto a indústria em geral pagava uma média de 3,2 salários mínimos.
"Analisado em conjunto, esse resultado reforça a importância da cadeia de petróleo e gás no país", diz o IBGE, no texto de divulgação da pesquisa. As vendas de óleo diesel e de petróleo bruto encabeçam a lista de produtos com maior valor de venda em 2017, quando foram responsáveis por 5,4% do faturamento da indústria brasileira.
O crescimento do emprego no setor de petróleo e gás acompanha o aumento da produção nacional, que cresceu 44% entre 2008 e 2017, passando de de 1,8 milhão de barris por dia para 2,6 milhões de barris por dia com forte impulso dos campos gigantes descobertos no pré-sal, revela a Folha.
Com o retorno dos leilões do pré-sal em 2017, após anos sem oferta de áreas, o mercado espera um novo ciclo de crescimento do setor, com maiores investimentos estrangeiros na busca por novas reservas na costa brasileira.


*Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário