Mais de 400 jovens entre 10 e 19 anos foram internados com doenças cardíacas na Bahia; especialista alerta

“O que a gente precisa é conscientizar essa turma nova da necessidade do exercício físico frequente e alimentação”, diz Railton Cordeiro, cardiologista do Hapvida Saúde, sobre os casos de jovens que estão infartando cada vez mais novos. Em conversa com o Varela Notícias, ele destacou a importância em manter as atividades físicas em dia e da atenção com a alimentação para evitar complicações cardiovasculares no futuro. De acordo com dados fornecidos pela Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab), até o mês de junho de 2019 foram contabilizados 406 casos de internações por doenças cardiovasculares entre jovens de 10 a 19 anos.
“As pessoas até sabem o que fazer, mas não fazem. Temos o quanto antes que mudar o estilo de vida. A gente não pode pensar que não pode reverter, podemos sim, isso é o básico”, alerta o cardiologista sobre a consciência da população em relação a procura profissional para resolver os problemas cardíacos.

Outros dados
Apesar do alto número de casos em crianças e adolescentes, adultos continuam sendo os mais afetados por este tipo de problema. Só em 2018, segundo a Sesab, 1.252 pessoas, entre homens e mulheres, foram internadas por arritmia cardíaca. Deste número, 73 adultos entre 45 e 49 anos foram hospitalizados e 26 vieram a óbito no mesmo ano. O órgão ainda não possui dados referentes a este ano para pessoas desta faixa etária.
O auxilar administrativo Adriano Lázaro, de 47 anos, contou ao VN como uma rotina corrida acabou influenciando na saúde do seu coração. “Devido ao grau de estresse que eu estava passando na época, isso estava sobrecarregando as funções elétricas do meu coração. E por conta desse estresse eu tomei um susto muito grande com uma trovoada e horas depois meu coração descarregou uma carga além do que o órgão precisa e diminuiu o batimento”.
Após o episódio da trovoada, Adriano desenvolveu hipertensão que se atrelou as noites mal dormidas do trabalho junto com o consumo do cigarro. “Com isso veio a hipertensão, e com as noites mal dormidas por conta do trabalho eu comecei a ter picos de pressão alta e desenvolvi a hipertensão devido a esse histórico de noites perdidas e tabagismo que contribui também. Devido a tanta alteração na minha pressão arterial eu tive um alargamento aórtico que causa uma pequena dor no tórax. Hoje eu faço o uso de três medicações”, conta.

Atendimento gratuito
A Secretaria Municipal da Saúde oferece o serviço gratuito na rede própria, por meio da realização de consultas nos Multicentros da Liberdade, Carlos Gomes, Vale das Pedrinha e Amaralina, em Salvador. O serviço de marcação de consultas é realizado nas unidades de saúde, de segunda à sexta-feira, exceto feriados, das 8h às 17h. No local, cerca de 17 mil exames e consultas são ofertados mensalmente.
De acordo com a Secretaria de Saúde da Bahia, dos 10 itens mais dispensados nas farmácias da rede municipal, 04 estão diretamente relacionados ao tratamento de doenças cardíacas e outros 04 direcionados ao tratamento de co-morbidades.

Dentre estes itens, encontram-se:
Losartana (50 mg): Indicado é para tratamento de hipertensão arterial

Sinvastatina (20 mg): Indicada para o tratamento de dislipidemias, tendo como objetivo a redução dos níveis de colesterol LDL e triglicerídeos e aumento do colesterol HDL no sangue,

Metformina (850 mg): Indicado especialmente em pessoas obesas ou com sobrepeso

Hidroclorotiazida (25 mg): Medicação diurética normalmente utilizada para o tratamento da hipertensão arterial e inchaço devido à acumulação de fluidos

Anlodipino (5 mg): Indicado como medicamento de primeira escolha no tratamento da hipertensão (pressão alta) e angina de peito (dor no peito, por doença do coração) devido à isquemia miocárdica (falta de sangue no coração)

Ácido acetilsalicílico (100 mg): Utilizado como medicamento para tratar a dor, a febre e a inflamação

Gliclazida (60 mg): Medicamento antidiabético usado no tratamento do diabetes mellitus tipo 2. É usado quando mudanças dietéticas, exercícios e perda de peso não são suficientes

Glibenclamida (5mg): Destinado ao tratamento de diabetes tipo 2 quando os níveis de glicose no sangue não podem ser controlados apenas por dieta, exercício físico e redução de peso.


*Varela Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário