CPI de Brumadinho pede indiciamento de ex-presidente da Vale por homicídio doloso

O relatório final da CPI de Brumadinho da Câmara dos Deputados pediu o indiciamento por homicídio doloso e lesão corporal dolosa, quando há intenção de cometer esses crimes, de 22 diretores da Vale, engenheiros e terceirizados, além do ex-presidente da mineradora, Fabio Schvartsman, por causa do rompimento da barragem do Córrego do Feijão, em Brumadinho, Minas Gerais. As informações foram publicadas pela Folha de São Paulo.
O documento assinado pelo relator, Rogério Correia (PT-MG), foi protocolado neste fim de semana na Câmara dos Deputados e deve ser analisado e votado em sessão da CPI marcada para essa terça-feira (29), em Brasília.
Também foi pedido o indiciamento da Vale e da Tüv Süd Bureau de Projetos e Consultoria Ltda por inúmeros crimes ambientais. O documento diz que Schvartsman, que deixou o cargo em meio ao escândalo do rompimento, “tinha plena ciência da necessidade de se adotar medidas urgentes para o aumento da segurança nas barragens situadas na zona de atenção”.
O rompimento aconteceu em 25 de janeiro do ano passado, matando 252 pessoas e deixando outras 18 desaparecidas, além de provocar destruição ambiental e a contaminação do rio Paraopeba. 


*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário