Salvador registra maior número de casos de HTLV na Bahia; centro apoia portadores de doença

Pouco se tem falado sobre um vírus que não é recente, mas que vem atingindo uma parcela da população. O HTLV, que faz parte da família do HIV, vírus causador da AIDS, atinge as células de defesa do organismo. Diferente do HIV, que diminui a produção de células de defesa, o HTLV aumenta a produção de linfócitos T, podendo causar o aumento de doenças graves como câncer, doença com alta taxa de letalidade. O vírus é classificado em dois grupos: HTLV-I e HTVL-II, o primeiro caso está associado a doenças neurológicas graves e degenerativas e o segundo caso ainda não está ligado a nenhum tipo de patologia determinada.
Uma pesquisa realizada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) divulgada neste ano após análise de testes realizados no Laboratório Central de Saúde Público (Lacen), entre 2003 e 2014, mostrou que a Bahia é o estado com o maior número de casos do vírus no Brasil.
Segundo a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) os maiores índices de contágio são em pessoas pardas com idades entre 35 a 54 anos. Quando se comparado os dados entre 2017 e 2018 é possível notar uma queda nos casos da doença, quando foram contabilizados 712 e 693 registros, respectivamente. Até maio deste ano, a Bahia já contabilizou 206 casos. Ainda conforme a Sesab, levando-se em consideração os índices entre 2017 até maio de 2019, as cidades com maior incidência do vírus foram Salvador (797), Feira de Santana (112), Vitória da Conquista (76) e Itabuna (36), em números totais.

*Varela Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário