Taxa de desocupação cai 0,5% na Bahia, mas população fora da força de trabalho aumenta

A taxa de desocupação na Bahia recuou 0,5% no 3º trimestre de 2019 em comparação com o período anterior, ficando em 16,8%, segundo dados divulgados hoje (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Mesmo com a discreta queda, o índice continuou sendo o maior do país e ficou ligeiramente acima do resultado do 3º trimestre de 2018 (16,2%). No país como um todo, a taxa de desocupação foi de 11,8% no 3º trimestre de 2019.
O recuo no estado foi puxado não pelo aumento no número de pessoas trabalhando, mas pela alta no número de pessoas fora da força de trabalho, ou seja: que não estavam trabalhando nem procurando trabalho. O contingente chegou a 5,017 milhões no 3º tri/19, frente a 4,991 milhões no 2º trimestre de 2019 e 4,985 milhões no 3º trimestre de 2018, atingindo seu maior patamar para um 3º trimestre desde 2012.
No caso de Salvador, a redução na desocupação foi mais expressiva: no 3º trimestre, a taxa ficou em 15,1%, ante o resultado recorde de 17,7% no 2º trimestre deste ano e a marca de 16,1% no mesmo período do ano passado. Com o resultado, o município deixou o topo do ranking de desocupação entre as capitais, caindo da 1ª para a 6ª posição.
Também houve redução na taxa de desocupação da Região Metropolitana de Salvador (RMS), que foi de 16,7% no 3º trimestre. Com esse resultado, a RMS caiu uma posição no ranking de desocupação, passando do 2º para o 3º lugar.
Tanto em Salvador quanto na RMS, a queda foi puxada pelo aumento da população ocupada.


*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário