Bolsonaro descarta mexer no preço da gasolina: 'tendência é estabilizar'

O presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem (6) que a “tendência” é que o preço do combustível estabilize. A tensão sobre o aumento dos combustíveis se acentuou após o assassinato do general iraniano Qassem Soleimani em um bombardeio americano. De acordo com Bolsonaro, o impacto “não foi grande”.
“Graças a Deus, pelo que parece, a questão lá dos Estados Unidos e Iraque, o general lá que não é general, e perdeu a vida, não houve…O impacto não foi grande. Foi 5%, passou para 3,5%, não sei como está hoje, em relação a antes do ataque. Mas a tendência é estabilizar”, disse Bolsonaro, na saída do Palácio da Alvorada.

O preço do barril de petróleo ultrapassou os US$ 70 em Londres pela primeira vez desde setembro. Na última sexta-feira (3) a Petrobras não quis se pronunciar sobre a alta dos combustíveis e disse que aguardará o movimento do mercado.


*metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário