Médico do TJ de Goiás é denunciado por exigir 'favores sexuais' de servidoras

O médico do trabalho do Tribunal de Justiça de Goiás, Ricardo Paes Sandre, foi denunciado pelo Ministério Público Estadual. Ele é acusado de cometer por quatro vezes o crime de corrupção passiva, e de na condição de diretor do Centro de Saúde do Tribunal, "solicitar, direta e indiretamente, favores sexuais das servidoras públicas que se encontravam a ele subordinadas".
Ricardo Paes pediu os favores em troca de condições administrativas relacionadas a horário de trabalho, férias e gratificações, conforme reportagem do Estadão.
De acordo com a denúncia, o médico praticava assédio moral, sexual e abuso de poder contra servidoras públicas no período entre 2013 e 2018, quando dirigiu a unidade de saúde do Tribunal de Justiça de Goiás.

A reportagem ainda traz que o médico "‘ostentava sua alegada influência dentro do Poder Judiciário, em razão das relações de parentesco com integrantes daquele poder’ – ele é genro do ex-presidente do TJ e irmão de juiz. E valia-se disso para ‘impor aos servidores públicos uma autoridade que não possuía pelo cargo que ocupava".
A denúncia ainda prevê pedido de concessão de medida cautelar prevista no artigo 319, inciso VI, do Código de Processo Penal, para que Ricardo seja suspenso do cargo de técnico judiciário e médico do trabalho do Tribunal.


*Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário