São Paulo suspende contrato do goleiro Jean até o final de 2020

O São Paulo optou por suspender até dezembro deste ano o contrato do goleiro Jean, que responde a processo por violência doméstica nos Estados Unidos. Com a decisão, o clube paulista deixará de pagar os salários do jogador neste período. O atleta também não receberá qualquer indenização. A suspensão, porém, não pode ser renovada no ano que vem. O vínculo do jogador vai até 2022. De qualquer forma, Jean não jogará mais no tricolor paulista.
Em nota oficial, o São Paulo explicou que “o contrato permanecerá suspenso até 31 de dezembro de 2020, período durante o qual o atleta poderá exercer atividades por outras agremiações em condições já estipuladas. Caso o jogador não seja contratado por um outro clube durante este período, o São Paulo Futebol Clube poderá decidir pela rescisão de contrato ao final deste ano de
suspensão”.
A decisão foi tomada ontem após uma reunião entre dirigentes do clube paulista e representantes do goleiro.
Antes dessa rescisão, porém, o São Paulo pode emprestar Jean a um clube que ficaria responsável pelos salários do goleiro. O Ceará mostrou interesse de ter o jogador para a temporada, mas a torcida se manifestou contrária à contratação. A diretoria cearense então recuou e fechou com o veterano Fernando Prass, ex-Palmeiras.

Prisão nas férias
O São Paulo chegou a discutir a rescisão do contrato do jogador por justa causa, mas preferiu se precaver de possíveis brechas jurídicas a favor do goleiro. O tricolor também cogitou rescindir o vínculo logo após o ocorrido, mas a lei trabalhista proíbe o empregador de demitir um funcionário durante o período de férias. Jean estava com a família em Orlando.
Na demissão sem justa causa, o clube seria obrigado a pagar todos os valores referentes ao contrato até 2022. Essa possibilidade sequer foi cogitada, pois o São Paulo considera que seria uma espécie de “prêmio” a um atleta que teve uma atitude condenável.
O goleiro foi preso em dezembro passado durante as férias, acusado de agredir a mulher Milena Bemfica num quarto de hotel nos Estados Unidos. De acordo com a declaração de prisão registrada pela polícia local, Jean agrediu a esposa com oito socos no dia 18 de dezembro na presença das filhas do casal. Ela publicou vídeos nas redes sociais pedindo ajuda.
O goleiro foi solto no dia seguinte sem pagamento de fiança após audiência em Orlando. O processo continua na justiça americana.
Por determinação do tribunal, ele terá que manter distância da mulher.


*O Globo

Nenhum comentário:

Postar um comentário