Confira as maiores polêmicas do carnaval de Salvador 2020

O carnaval de Salvador de 2020 foi marcado por diversos momentos de alegria, realização e principalmente polêmicas protagonizadas por artistas baianos e de outros estados, além de personalidades políticas.
A folia já começou com a ausência do governador Rui Costa na abertura oficial do carnaval. Ele também não compareceu na saída do bloco Ilê Ayê, um dos blocos mais tradicionais de Salvador.
O percussionista Carlinhos Brown passou por um momento constrangedor durante sua passagem na avenida Barra/Ondina, logo no primeiro dia de festa, por conta de um defeito em seu trio. Aparentemente um vazamento de óleo quente, fez com que o caminhão ficasse paralisado na altura do Farol da Barra. Mas mesmo com os problemas, a apresentação de Brown e do Movimento Percussivo Timbaleira Drummers seguiu a todo vapor.

Outros cantores também sofreram com problemas no trio. O cantor Léo Santana ficou desesperado após uma pane, na última sexta (21), fazendo com que o som parasse por quase 20 minutos. “Estava desesperado. Dei um puxão de orelha na minha equipe”, chegou a falar.
Também houve um atraso no desfile do Circuito Dodô (Barra/Ondina) atrasado na noite de sexta-feira (21). De acordo com informações da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedur), o retardo ocorreu por conta do guindaste utilizado pela cantora Claudia Leitte, que foi utilizado pela cantora em sua apresentação, onde apareceu “voando” para os foliões .
Bell Marques mostrou impaciência após ter seu percurso no Circuito Dodô (Barra-Ondina) interrompido na última quinta-feira (20) enquanto passava pelo Morro do Cristo. O motivo da paralisação foi uma briga generalizada envolvendo foliões que estavam na frente de seu trio independente.
O grupo É o Tchan, uma das bandas mais tradicionais do carnaval de Salvador, cancelou a participação no Circuito Barra-Ondina por conta da mudança na programação da saída dos trios, na última terça-feira (25), segundo divulgou a assessoria da banda. O desfile do grupo comandado por Beto Jamaica e Compadre Washington aconteceria na segunda (24).
Um dos maiores veteranos do carnaval baiano, Ricardo Chaves não pôde encerrar seu último dia de folia momesca em 2020 da forma esperada. Um problema na mesa de som do trio elétrico fez com que a apresentação fosse encerrada na altura do Cristo, ainda na Barra. Além do encerramento, o problema na mesa causou um atraso no circuito, fazendo com que o trio da banda Parangolé — que vinha logo atrás — tivesse que ficar parado por cerca de 20 minutos.
Um fã da banda Parangolé protagonizou, na noite de sexta-feira (21), um momento irreverente no Circuito Dodô (Barra/Ondina). O homem ofereceu R$ 400 ao segurança para subir no trio elétrico, porém o acordo não foi selado. De acordo com o próprio fã, o pagamento seria realizado em espécie.
Em meio as polêmicas envolvendo trios elétricos, uma caso inusitado chamou atenção. Um condutor de trio elétrico foi flagrado por agentes que atuam na blitz da Lei Seca da Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) dirigindo sob efeito de álcool na madrugada de terça-feira (25). Após perceberem que o trio circulava em velocidade incompatível com a via, no Vale dos Barris, os agentes abordaram o motorista. Ao passar pelo teste no etilômetro (bafômetro), foi constatado que ele estava com o nível de álcool no sangue acima do permitido.
O motorista não foi o único que afogou o ganso na bébida. O lateral-esquerdo do Bahia, Zeca, foi flagrado supostamente embriagado em um camarote de Salvador.
Os artistas Léo Santana e Anitta movimentaram a web após protagonizarem dança sensual, em último ensaio de carnaval da cantora, no camarote da skol, na noite de quinta-feira (20).
O Gigante revelou também, que deixará os palcos logo após o carnaval de Salvador. O artista anunciou que realizará uma cirurgia no pé direito por conta de uma lesão no ligamento adquirida semanas antes do carnaval de 2019, durante uma partida de futebol. O pagodeiro só deve aceitar compromissos a partir do meio de abril .
Anitta foi uma das artistas que causou no carnaval. A funkeira revelou que deu “Macth” em um baiano em uma aplicativo de relacionamento, mas levou bolo. Por falar em relacionamento, a cantora baiana Daniela Mercury foi flagrada aos beijos com a sua noiva Malu, em cima do trio elétrico.
A cantora Preta Gil passou mal durante uma apresentação na última sexta-feira (21), no Circuito Barra/Ondina, em Salvador e precisou parar de cantar para sentar em uma cadeira em cima do trio. A produção abanou e hidratou a cantora, que deixou de se apresentar por um tempo deixando um DJ tocando. O bloco da filha de Gilberto Gil acelerou já no final da apresentação, onde atrapalhou o roteiro de outros trios.
A cantora Cláudia Leitte recebeu elogios de seus fãs e seguidores após interromper show para socorrer fã que passou mal no “Camarote Skol”, na noite do último sábado (22). No vídeo é possível ver a cantora, juntamente com o seguranças do evento, agachada socorrendo a moça e logo após se levantar para pegar um copo com água.
Conhecido por fazer comentários polêmicos, o humorista Danilo Gentili polemizou na web após compartilhar no Twitter uma foto da atriz global, Bruna Marquenize, e usar a seguinte legenda, “Parece que ela trocou um craque pelo outro”, ironizando o corpo da artista.
O cantor Márcio Victor, parou o trio e chamou atenção do Deputado Federal Isidório (AVANTE), durante arrastão pipoca, no circuito Barra/Ondina, no último sábado (22). Vestido com trajes da Polícia, o pré-candidato à prefeitura de Salvador, compareceu na folia para levar a palavra de Deus e cumprimentar foliões. “Olha, na moral, na moral, não tenho nada contra, mas por favor, pastor Isidório está chato pra caralho essas placas de política aqui”, reclamou Márcio.
Lucas Di Fiori, músico do Olodum, em seu trio, interrompeu a música para comentar sobre os policiais. “Um abraço pro comandante geral da Polícia Militar da Bahia”, iniciou. Logo em seguida, o cantor faz uma leve crítica à atuação da PM na festa momesca, apesar de deixar claro que quem controla a cidade, são os militares.
“A gente tem visto que a polícia esse ano está num combate mais tranquilo, mas eu, sinceramente, gosto da minha polícia como era antes. Quem controla a cidade é a Polícia Militar da Bahia. Onde tem muita aglomeração de gente indevida, gera confusão, e a malandragem não pode mandar na nossa cidade. Quem manda aqui é a Policia Militar da Bahia, certo?”, declarou Lucas.
Igor Kannário voltou a entrar em embate com a Polícia Militar. Na segunda de carnaval, durante sua apresentação no Campo Grande, o cantor incitou o público a vaiar policiais que estariam agredindo foliões: “Eu peço pra imprensa filmar isso aí. Abuso de poder, abuso de autoridade. Eu quero uma vaia. Agressores”. O episódio gerou desdobramentos, com uma nota de repúdio da PM e o pedido do governador Rui Costa de uma ação judicial contra o artista.
Antes da polêmica com a PM, Kannário tinha protagonizado outras situações que deram o que falar. Na sua passagem na Barra, ele ameaçou para de tocar no carnaval por causa das brigas: “Velho, não estou entendendo vocês, não. Vocês ficam brigando aí embaixo… Amanhã vão dizer que a culpa é minha, da favela… Nada a ver, ‘piva’. Se ficar nessa onda aí, eu vou deixar de tocar no Carnaval de Salvador”, afirmou.


*varelanotícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário