Mulher é presa após simular sintomas de coronavírus

Claudete Maria Rosa da Silva, 39 anos, foi presa em flagrante após fingir estar com sintomas de coronavírus ao dar entrada na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) de Copacabana. Ela foi detida por falsidade ideológica e por provocar alarme para perigo inexistente. Claudete também disse aos profissionais da unidade que poderia estar com a gripe H1N1.
No momento do atendimento, Claudete informou que tinha chegado domingo de Hong Kong, na China, e que seu voo tinha feito escala nos Estados Unidos. Por isso, recebeu, além de nebulização, dipirona e bromoprida, o medicamento Tamiflu para gripe H1N1. Ela chegou a fazer uma radiografia na UPA de Botafogo. Como ela insistia na questão da viagem, a equipe da UPA decidiu deixá-la isolada.

Os profissionais começaram a desconfiar da versão de Claudete quando ela entrou em contradição. A Polícia Civil foi acionada e ela foi presa em flagrante na própria UPA.
A farsa gerou custos aos cofres públicos. A UPA fez uma compra emergencial de máscaras para toda a equipe que estava de plantão e para os profissionais que assumiriam o turno seguinte.
De acordo com a Secretaria de Saúde, o atendimento na ontem ficou abaixo da metade do esperado para o dia. Os pacientes se assustaram ao ver a equipe da UPA usando máscaras e muitos recusaram a fazer o atendimento.


*metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário