Com apenas um cômodo em casa, famílias baianas se preocupam com coronavírus: 'Se um tiver, todo mundo vai ficar'

Cerca de 80 mil pessoas vivem em casas de apenas um cômodo na Bahia, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A situação preocupa os moradores em meio à pandemia do novo coronavírus, já que a indicação do Ministério da Saúde é isolamento total do pacientes infectados.
O levantamento do IBGE aponta ainda que, só na capital baiana, pouco mais de 14 mil pessoas moram em casas com a mesma estrutura. Uma dessas casas é a da vendedora ambulante Joseane Almeida, que mora na localidade da Lagoa da Paixão, no bairro de Nova Brasília de Valéria.
Joseane tem quatro filhos e está com as atividades paradas por causa das recomendações da prefeitura com relação ao coronavírus.
Além de ter apenas um cômodo, a casa dela não tem água encanada. Atividades básicas do dia-a dia, como lavar os pratos, é no improviso. As condições de moradia preocupam Joseane, caso alguém da família dela adoeça com a Covid-19.

“Se um tiver a doença, todo mundo vai ficar, porque não tem recurso nenhum. Não tem lugar para isolar, só tem esse cômodo e pronto”, disse ela.
Em situação semelhante está a também vendedora ambulante Sílvia Cardoso, vizinha de Joseane. Para ela, além da preocupação com a estrutura da casa, fica também a apreensão com a alimentação, já que ela está sem trabalhar.
“[Espero] Que tudo passe para a gente voltar a trabalhar, porque, se a gente não trabalhar, como é que vamos sobreviver? A gente tem que trabalhar. A gente não tem uma renda do governo. Essa doença que tem que ir embora para a gente voltar à atividade da gente”, desabafou Sílvia.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário