Petrobras alerta para risco de desabastecimento de gás de cozinha

O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, disse que, se houver um aumento do imposto sobre a gasolina, como defende o setor produtor de etanol, poderá haver um desabastecimento do GLP, que é o gás de cozinha, no Brasil. A afirmação foi feita em uma coletiva de imprensa ontem (17) transmitida pela internet.

"Etanol e gasolina são produzidos na mesma unidade. Ao incentivar o etanol, vamos reduzir a produção de gasolina. E reduzindo a produção de gasolina, há redução de GLP. Isso nos levará a necessidade de importar mais GLP. E, como existe uma capacidade limitada de internação (importação) do GLP importado, há um risco de desabastecimento do mercado brasileiro. Por isso, os proponentes dessa medidas precisam refletir sobre essa medida e as consequências para os consumidores brasileiros que serão seriamente afetados nesse momento", afirmou Castello Branco.
Em meio à queda do preço do barril de petróleo, e a queda do consumo de combustíveis no país por conta da pandemia do novo coronavírus, a Unica, que representa os produtores de etanol, enviou ao governo um pedido para aumentar a alíquota do Cide por litro de gasolina A (gasolina pura) dos atuais R$ 0,10 para R$ 0,50.

"No momento estamos importando GLP para garantir o abastecimento. Com o outono e o inverno, a demanda por GLP aumenta no Sul e Sudeste. Se colocar impostos em gasolina para beneficiar o etanol, terá impacto negativo", disse o executivo.

*Metro1

Nenhum comentário:

Postar um comentário