Miss é encontrada morta; namorado é principal suspeito

Desaparecida desde o último domingo (10), Dia das Mães, a miss Kimberly Karen Mota de Oliveira, 22 anos, foi encontrada morta nesta na noite da segunda-feira (11) em um apartamento no centro de Manaus. Finalista do Miss Amazonas Universo 2019, a modelo representou o município de Manicoré no concurso. A estudante e modelo tinha perfurações de arma branca pelo corpo.

De acordo com o jornal A Crítica, de Manaus, o ex-namorado dela, o advogado Rafael Fernandez Rodrigues, 31, que é natural de São Bernardo do Campo (SP), é o principal suspeito do assassinato. Kimberly foi encontrada morta no apartamento dele. A modelo estava desaparecida desde domingo, quando deixou de responder as mensagens dos familiares, que moram no interior do Amazonas.

Ainda de acordo com o jornal local, Rafael seria funcionário público do Tribunal de Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo e estaria há pouco tempo em Manaus, após passar por um processo de separação da ex-mulher.
A modelo foi encontrada com três perfurações de facadas em um imóvel na avenida Joaquim Nabuco. Uma arma foi encontrada pela perícia ainda no apartamento. Segundo a Polícia Civil (PC), o namoro do casal durou apenas dois meses.

"Ele é paulista e estava tendo um relacionamento com ela, que durou dois meses. A modelo pôs fim à relação e, no domingo, esse suspeito foi buscá-la no local em que morava e hoje ela foi encontrada no apartamento dele. A arma foi encontrada na varanda", explicou a delegada Zandra Ribeiro, adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), em entrevista ao portal Universa, do Uol.

Em Manaus, a modelo morava com uma amiga, que virou a principal testemunha do caso. Ela informou à PC que viu Kimberly entrando no carro do suspeito no domingo. O automóvel seria um Audi A5 de cor branca. Às 0h31, o corpo foi encontrado no imóvel pela Polícia Militar (PM), após atender um pedido de um tio de uma amiga com quem a modelo morava.

"Ele foi buscá-la na casa de uma amiga. Ela a viu entrando no carro dele. Nós acreditamos que eles (Kimberly e o suspeito do crime) tiveram alguma briga, acabando ocorrendo essa tragédia", relatou a delegada. Segundo Zandra, o próximo passo das investigações é traçar o perfil do foragido.

O caso é investigado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS). Equipes da DEHS estão realizando diligências em torno do caso com intuito de localizar o homem. A investigação apurou que o Aeroporto Internacional de Manaus não registrou a saída do suspeito por via aérea desde do dia do crime.

*Correio

Nenhum comentário:

Postar um comentário