Prefeito de Amargosa pede prisão de homem infectado pela Covid-19 que descumpriu isolamento social

O prefeito de Amargosa, Júlio Pinheiro, pediu a prisão de um homem de 54 anos que foi infectado pela Covid-19 e descumpriu a medida de isolamento social.

Conforme a assessoria da prefeitura, Júlio Pinheiro fez o pedido ao jurídico do órgão para acionar o Ministério Público da Bahia (MP-BA).

Em entrevista ao G1, Júlio Pinheiro disse que o homem, que não teve a identidade revelada, foi infectado pela esposa, que está internada há mais de 30 dias no Hospital Santo Antônio, em Salvador.

"No dia 30 de abril, nós recebemos a notícia de que uma paciente de Amargosa, que está internada há mais de 30 dias no Hospital Santo Antônio, das Obras Sociais Irmã Dulce, em Salvador, testou positivo para Covid-19".

"Essa senhora reside em Amargosa, mas já estava fora da cidade há mais de 30 dias por causa do tratamento, ou seja, ela contraiu a doença em Salvador e permaneceu em Salvador, mas o protocolo determina que os casos devem ser notificados nos municípios residentes, nós reconhecemos ela como o primeiro caso positivo em Amargosa", contou.

De acordo com Júlio Pinheiro, o homem foi diagnosticado com a doença e recebeu a recomendação para ficar isolado. Entretanto, o órgão recebeu a informação de que ele comercializava bebidas em casa e estava na rua.

"O que se mostrou uma decisão acertada, porque, logo depois, a gente fez o monitoramento e o teste do esposo dela, que também deu positivo. Esse senhor foi mantido em isolamento através do relatório médico, e a gente, logo em seguida, recebeu a informação de que ele estava andando pela cidade, bebendo, abrindo o seu bar para que as pessoas entrassem e bebessem lá dentro com a porta fechada e outras ações que vão de encontro com as medidas impostas através do isolamento social, que é protocolo da saúde”, explicou.

Ainda de acordo com o prefeito, o homem gravou e divulgou um vídeo nas redes sociais, falando que não estava com a doença e que não havia sido informado pela prefeitura sobre o resultado do exame.

"O que não é verdade, porque o teste que ele fez foi o teste rápido, que dá o resultado na hora, e, como ele tinha uma carga alta de anticorpos, ele deu imediatamente no momento do teste. Então foi recomendado o isolamento através de um relatório médico e, com isso, os profissionais da Secretaria de Saúde ficaram monitorando", disse.

Júlio Pinheiro também contou que o pedido de prisão foi feito, pois a quebra de isolamento foi considerada uma ação que colocava em risco a vida das pessoas que moram na cidade.

"Como começou chegar a informação da quebra do isolamento social e como ele gravou um vídeo dizendo que não tinha nenhum sintoma e que a prefeitura teria mentido sobre a situação dele, nós tivemos que responder, mesmo inicialmente não tendo divulgado o nome dele por questão de ética, para respeitar o direito do sigilo, nós respondemos informando que o vídeo que ele fez não era verdadeiro, que ele mentiu e que eu estava pedindo através do jurídico da prefeitura a prisão desse senhor por colocar em risco a saúde pública e a vida das pessoas que moram em Amargosa", concluiu.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário