Segundo o Sindiquimica, Natulab decide colocar trabalhadores em risco de contaminação pelo Covid-19

Os trabalhadores e trabalhadoras da Natulab, fábrica de medicamentos e suplementos alimentares, localizado em Santo Antônio de Jesus, foram surpreendidos pela decisão da empresa de retorno ao funcionamento da operação, neste domingo (24/05), sem antes realizar as medidas urgentes de garantia da segurança e saúde dos funcionários exigidos pelo Sindiquímica, como a testagem de todos os trabalhadores e apresentação de um Plano de Prevenção ao Covid-19. Até o momento já foram confirmados sete trabalhadores da fábrica que testaram positivo para Covid-19 (dos 11 casos confirmados no município de Santo Antônio de Jesus). Outros funcionários estão em análise, aguardando resultado, e todo o corpo de trabalhadores encontra-se apreensivo, deixando também seus familiares e toda a cidade em uma estado de alerta e medo. 


O Sindiquimica considera esta tentativa de retorno à “normalidade” da operação, uma irresponsabilidade e defende que a empresa só volte a operar depois de apresentar um plano de prevenção ao Covid-19 no local de trabalho. O Sindicato enviou ofício para empresa com uma série de sugestões para permitir um retorno às atividades com segurança e uma reunião com a empresa está agendada para esta segunda-feira, 25/05, 10h. Portanto, retornar às atividades antes deste plano pronto e antes da reunião com o sindicato é uma afronta à entidade e uma irresponsabilidade com a saúde e segurança de todos os trabalhadores. Não aceitaremos. 

Esta atitude causa ainda mais espanto por se tratar de uma indústria farmacêutica que lida com a vida e a saúde de milhões de consumidores, colocando o lucro acima da vida. Se a empresa for incapaz de apresentar um Plano de Prevenção ao Covid-19 no local de trabalho seremos obrigados a nos questionar: qual a capacidade da empresa de manter padrões adequados de segurança biológica em sua produção?”. Questionamento que toda a sociedade deve fazer, incluindo os órgãos de fiscalização e saúde.  

Uma das medidas essenciais, além da testagem de todos os trabalhadores, é a apresentação do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional-PCMSO e do Programa de Prevenção de Riscos Ambientais-PPRA, com inclusão de Covid-19 e definição de corpo técnico responsável por acompanhamento, compartilhamento e transparência, elencando todas as medidas adequadas, de forma compartilhada com todos os trabalhadores.

Informações (André Santana) Ascom


Nenhum comentário:

Postar um comentário