Soro a partir de plasma de cavalos é aposta brasileira para combate à Covid-19

Um soro criado a partir do plasma de cavalos pode ser uma solução para o tratamento da Covid-19 em curto espaço de tempo. O estudo foi desenvolvido pelo Instituto Vital Brasil, laboratório centenário de ciência e tecnologia do Governo do Estado do Rio de Janeiro, em parceria com 20 pesquisadores da Universidade Federal do Rio de Janeiro, Fiocruz, UNESP, Universidade do Estado de São Paulo e UFF, Universidade Federal Fluminense.

O estudo se baseia em outros métodos de produção de anticorpos já existentes contra vírus, como os usados contra a raiva, ou contra os venenos de animais peçonhentos, também feitos a partir do plasma de cavalos. A previsão é que o novo soro pode ser viabilizado em seis meses, segundo a Agência Brasil.

Depois dessa etapa, Stolet afirma que serão quatro meses para os estudos pré-clínicos e clínicos em animais e humanos. A expectativa é que ele não produza efeitos colaterais.

O presidente do Instituto Vital Brazil destaca ainda a importância dos 21 laboratórios oficiais brasileiros e o trabalho quase diuturno de pesquisadores durante a pandemia. E avalia que é preciso reforçar as tecnologias no país.

Simultaneamente à produção de soro do plasma dos cavalos, também há outro projeto em andamento para tratamento contra o coronavírus no Instituto, que usa anticorpos e DNA de lhamas. O Instituto Vital Brazil ressalta que todos os procedimentos são realizados de forma segura também para os animais.

*bahianotícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário