Epidemia de ebola atinge Congo e ministro da Saúde anuncia quatro mortes pela doença

Uma nova epidemia de febre hemorrágica do ebola foi declarada oficialmente no noroeste da República Democrática do Congo (RDC), após o ressurgimento de um foco, anunciou nesta última segunda-feira (1) o ministro da Saúde, Eteni Longondo. 

"Uma nova epidemia de febre hemorrágica ebola foi declarada no noroeste da RDC", declarou o ministro da Saúde, Eteni Longondo, em coletiva de imprensa.

O governo congolês solicitou o apoio da Organização Mundial da Saúde (OMS), ao anunciar o ressurgimento do vírus ebola em Mbandaka, capital da província do Equador, 600 km ao norte da capital, Kinshasa. As duas cidades se comunicam pelo rio Congo, e ficam a uma semana de navegação uma da outra.

"A OMS tem equipes em Mbandaka para apoiar a resposta à nova epidemia de ebola", informou no Twitter o diretor-geral da agência sanitária da ONU, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Desde 30 de maio, foram registrados oito casos, incluindo quatro óbitos, anunciou o ministro congolês da Saúde. Ele informou que entre estes casos havia alguns confirmados e outros prováveis ainda não confirmados com exames de laboratório. A província do Equador já foi afetada por uma epidemia de ebola entre maio e junho de 2018, com 54 casos, sendo 33 deles fatais. O leste da RDC reporta atualmente outra epidemia de ebola, que matou 2.280 pessoas desde agosto de 2018 e devia ser declarada oficialmente controlada em 25 de junho.

*UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário