Levantamento aponta redução 26% no número de mortes violentas após medidas de isolamento

As medidas de isolamento social adotadas para o combate á proliferação desenfreada do coronavírus produziram um impacto positivo na redução do número de mortes no país. De acordo com a Associação Nacional dos Registros de Pessoas Naturais (Arpen), a queda chega a 26%.

Matéria do portal Metrópoles destaca a redução entre os meses de março a maio deste ano, quando foram registradas 14.598 mortes violentas, contra 19.748 óbitos do tipo no mesmo período de 2019.

A Arpen tem por base os dados lançados pelos Cartórios de Registro Civil no Portal da Transparência.

Mortes violentas são aquelas ocasionadas por causas externas, a exemplo de acidentes de trânsito, homicídios, suicídios, afogamentos, envenenamentos, queimaduras, entre outros.

“A quarentena adotada em vários estados brasileiros contribuiu de maneira significativa para que o número de mortes no país não fosse ainda maior, e não sobrecarregasse ainda mais o sistema de saúde das diferentes unidades da Federação durante a pandemia”, destaca a Arpen-Brasil no levantamento.

A conclusão é de que o fechamento de bares, restaurantes e casas noturnas, e mesmo a significativa redução de automóveis em circulação nas ruas, avenidas e estradas, fez com que o número de mortes violentas no país caísse em relação ao mesmo recorte de tempo do ano passado.

*Bahia Notícias

Nenhum comentário:

Postar um comentário