Bolsonaro diz que a proposta atual do Renda Brasil está suspensa

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), disse nesta quarta-feira (26), em evento na Usiminas em Minas Gerais, que a atual proposta do Renda Brasil está suspensa. O programa é aposta do governo para turbinar a popularidade do presidente, mas enfrenta resistência da equipe econômica. Guedes sugere pagamento de até R$ 250, mas Bolsonaro quer valor maior.

"Ontem discutimos a possível proposta do Renda Brasil ,e falei está suspenso. A proposta como apareceu para mim não será enviada ao parlamento. Não posso tirar de pobre para dar a paupérrimos", disse.

Com essa afirmação, Bolsonaro garantiu que não pretende tirar os recursos de outros programas para custear o Renda Brasil - que deve surgir como substituto do Bolsa Família.

"Não podemos fazer isso aí, como por exemplo, a questão do abono para quem ganha até 2 salários mínimos , que seria um 14º salário, não podemos tirar isso de 12 milhões de pessoas para dar ao Bolsa Família, ao Renda Brasil ou como for chamar esse novo programa", concluiu.
As declarações repercutiram nos mercados, em meio às incertezas sobre a agenda do governo para as contas públicas e as preocupações com as divergências entre a equipe de Guedes e Bolsonaro. Por volta de 13h15, o dólar subia 1,18%, negociado a R$ 5,59 e o Ibovespa caía 1,54%, aos 100.546 pontos.

Queda de braço
Com a crítica pública à proposta, o presidente frisou a insatisfação nos rumos da discussão com a equipe de Guedes sobre o novo programa. No governo se instalou um impasse para criação do benefício.

De um lado, o presidente resiste sinalizando que quer manter todos os programas sociais já existentes, enquanto o ministro Paulo Guedes debate nos bastidores eliminar benefícios não tão distributivos para 'vitaminar' o Renda Brasil.

Auxílio emergencial
Bolsonaro reafirmou ainda que vai manter o auxílio emergencial até dezembro - ainda sem valor definido -, mas destacou que o país precisa voltar a produzir.

"Ou o Brasil começa a produzir, fazer o plano que interessa a todos nós, que é o emprego, o melhor plano social que existe, ou estamos fadados ao insucesso", afirmou.

Religamento de forno
O presidente está em Ipatinga, onde participou da retomada das operações do forno 1 da siderúrgica Usiminas. O equipamento é um dos 3 operados pela gigante siderúrgica na cidade e estava parado desde abril, por causa da pandemia do coronavírus.

No evento, acompanhado por mais de 300 trabalhadores e pelos ministros Braga Neto e General Heleno, o presidente destacou a necessidade da participação do povo na retomada econômica do país.

"Não posso fazer milagre e conto com cada um dos brasileiros para que possam fazer o melhor de si para tirar o Brasil da situação difícil que se encontra, que não é de hoje. Precisamos gerar emprego, trabalhar, e que cada um, na medida do possível, busque seu sustento com o suor do próprio rosto", afirmou.

Agenda na cidade
Bolsonaro chegou à cidade por volta de 10h e esteve com apoiadores que o aguardavam. O presidente não usou máscara de proteção contra a Covid-19, que é obrigatória no estado , e provocou aglomeração.

Após a visita às instalações da empresa, que terminou por volta das 13h, o presidente seguiu para um almoço e depois é aguardado em evento pró-governo com simpatizantes.

*G1

Nenhum comentário:

Postar um comentário