Bolsonaro nega permanência do auxílio emergencial: ‘arrebentaria a economia brasileira’

A possibilidade de manter o auxílio emergencial por tempo indeterminado foi negada pelo presidente Jair Bolsonaro, neste último domingo (2). Ele disse que manter o benefício criado durante a pandemia de coronavírus iria “arrebentar com a economia do Brasil”.

"Alguns estão defendendo o auxílio indefinido. Esses mesmos que quebraram os estados deles, esse mesmo governador que quebrou seu estado, tá defendendo agora o emergencial de forma permanente. Só que, por mês, são R$ 50 bilhões. Vou arrebentar com a economia do Brasil", destacou Bolsonaro.

A fala ocorreu durante um passeio de moto que o presidente deu pelas ruas de Brasília. Apesar de citar um governador, ele se negou a informar o nome do gestor a quem se referiu. "Você sabe de quem estou falando. Se você não sabe, procure se informar", respondeu a um jornalista enquanto visitava uma padaria.

Bolsonaro também criticou os governos que adotaram o isolamento social mais rígido e utilizou a padaria onde estava como exemplo. "Tem o dono da padaria aqui. A dificuldade que é contratar gente, nesse emaranhado de leis, direitos. Vocês da imprensa, que apoiaram o lockdown, como é que a economia vai voltar à normalidade agora? Eu sempre falei que era a vida e o emprego[...] Os informais foram simplesmente dizimados", questionou.

*Bocão news

Nenhum comentário:

Postar um comentário